Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Análise: Com os protestos, o povo ganha, e a esquerda perde.

Segunda-feira, com os protestos ainda rolando em várias capitais do país, o programa "Roda viva" entrevistou os organizadores do Passe livre (que teve repercussão nacional e internacional quando iniciou os atos contra o aumento das passagens de ônibus). Ficou nítido, durante a entrevista, que o professor de história Lucas Monteiro de Oliveira e a estudante de direito Nina Cappello não querem "largar o osso". Ou seja: eles não querem que o movimento (que não é mais passe livre, aliás, o passe livre faz parte desse novo movimento sem nome) tome outro rumo. Eles foram questionados diversas vezes, em perguntas que mais diziam um fato: "vocês não acham que a reivindicação de vocês foi só um estopim, e agora os motivos são outros? Que a ação exagerada da polícia fez com que todos tivesses coragem de sair e lutar pelos seus direitos?", e eles, não sei se por falta de informação ou por cara de pau mesmo, respondiam: "para nós, está bem claro que o principal motivo ainda é o aumento das passagens". Desculpa, Lucas, não é. E mais, eles incentivam partidos como PSTU, PSOL e PCO a participarem dos protestos. Então, ao saber disso, a jornalista da Folha que foi atingida no olho por uma bala de borracha, pergunta: "Mas existem informações de que os representantes desses partidos foram hostilizados, e as bandeiras desses, retiradas". E então, ele respondeu: "mas nós não apoiamos isso". Nessa hora eu falei "foda-se", como se ele fosse me ouvir. Mas tenho certeza que todos pensaram o mesmo.

Agora, porque eles não querem que o movimento tome outro rumo? Porque eles não querem que você lute contra a inflação, contra a corrupção, etc? Primeiro, existe a questão do orgulho, da vontade do mérito. Segundo o mesmo professor de história mal informado (sim, o Lucas. desculpe pelo esteriótipo), eles estão há 8 anos nessa coisa de Passe livre. Coloque-se no lugar dele: Você, há 8 anos lutando por algo, e quando vê que vai acontecer, a coisa se torna tão grande que ele não é mais nada nisso. Triste (seria louvável se ele incentivasse esse crescimento, mas aí vem o segundo motivo). Segundo motivo (viram?): agora, as causas do protesto vão contra os amiguinhos da esquerda TAMBÉM. Veja o exemplo de brasília. O cara da juventude do PT, que organizou jantar para mensaleiros, tentou tomar a frente dos protestos. Se isso realmente acontecesse, iriam lutar contra a inflação de Dilma ou da corrupção do PT? Voltemos a SP. Acontece que nem toda esquerda se bica com a esquerda.  O PSTU (amiguinho do passe livre) odeia o PT, logo ele não quer que se perca o foco dos 0,20 centavos, que atinge Haddad. Já o PT, quer apontar seus canhões pras ações da polícia (que atinge o PSDB).

Mas os partidos não contavam que a grande maioria das pessoas que foram ao protesto são apartidárias. Embora em desvantagem política (o povo apartidário não sabe muito bem ainda o que são suas reivindicações. Têm aqueles que querem que o Alckimin saia, outros que a Dilma saia, outros que acabe a corrupção, outros que acabe a polícia militar, outros que saia o Haddad, outros querem que todo mundo saia, outros querem melhor gestão econômica no país, outros não sabem porque estão ali, mas sabem que está ruim, outros (poucos) querem quebrar tudo, outros querem direitos iguais, outros querem ar-condicionado no ônibus, outros querem transparência no governo, outros querem que a PEC 37 seja arquivada, e por aí vai), a voz do povo praticamente esmagou a voz desses partidos que querem usar essa massa em prol de seus objetivos (completamente políticos. esses partidos costumam pensar antes no partido, e depois no povo).

Felizmente, dessa vez, o povo ganhou, e a esquerda perdeu.

Comente com o Facebook: