Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

20 coisas que aprendi enquanto estava na Coreia do Norte

Por 5 dias o dono do blog "wait but why" esteve na Coreia do norte e mostra algumas constatações que ele teve de lá.

"Eu fiquei na Coreia do Norte por 5 dias. Isso foi mais do que o suficiente pra eu perceber que a Coreia do norte é muito mais estranha do que eu pensava que era. Se você misturar a União Soviética de Stalin com um Império Chinês antigo e um pouco do filme "Show de Thurman" você tem o que é a Coreia do norte hoje.

É uma ditadura das mais extremas, Um culto à personalidade que Stalin e Mao jamais imaginaram. Um país tão fechado do mundo que é difícil saber o que se passa lá dentro, e a população não sabe nada do que se passa aqui fora.

Você pode perguntar: "Por que um americano seria autorizado a entrar lá?". Vou tentar ilustrar a resposta:








Então autorizaram a minha entrada, depois de muita burocracia, junto com um grupo de estrangeiros, sempre acompanhados de 3 guias norte-coreanos. Antes de falar sobre o que eu aprendi, quero falar oi pro governo norte-coreano. Um dos oficiais de maior escalão tem acesso à internet e o trabalho dele é procurar qualquer coisa escrita sobre a coreia do norte no mundo, inclusive coisas da imprensa. Então oi e haha vocês não podem me pegar porque eu estou em casa e posso falar tudo o que eu não podia falar aí. Vamos começar.

20 coisas que aprendi enquanto estava na Coreia do Norte:

1) Os líderes do estado são considerados deuses

Eles são a única coisa da Coreia do Norte e tudo é em função deles. São três:

1) Kim Il Sung (1912 - 1994)

Ele é o George Washington, o Stalin, o Jesus e o Papai Noel misturados da Coreia do Norte. Ele é o eterno presidente de lá - Eterno porque a posição foi abolida pra todo o sempre, sendo assim, ele será o presidente eterno da Coreia do Norte. Eles criaram toda uma mitologia em cima do cara.

Existem cerca de 34.000 estátuas dele na Coreia do Norte, tudo o que é possível leva o seu nome (se eles estivessem começando a ditadura hoje, o nome do país seria Kim Il Sung Lândia), todos os adultos são obrigados a usar um boton com o rosto dele na roupa, todos os estudantes dedicam boa parte de seu tempo para decorar os seus discursos e aprender sobre suas conquistas e o maior feriado da nação é no seu aniversário. Eles até mudaram o calendário. Lá não é 2013, é o ano de 101 (fazem 101 anos que ele nasceu).

Como turistas, fomos orientados a nos referir a ele apenas como "Presidente Kim Il Sung"

2) Kim Jong Il (1941 - 2011)


É o filho de Kim Il Jung. Nos livros de história de lá, consta que ele nasceu no topo de uma montanha sagrada (ele nasceu na União Soviética, na verdade), e o seu nascimento provocou a mudança instantânea do inverno pra primavera (continuou no inverno, na verdade). Ele é considerado um Deus lá, mas um terço do Deus que é o pai dele. Alguns estrangeiros perguntam se as pessoas admiram mesmo ele ou estão só com medo.

Como turistas, fomos orientados a nos referir a ele como "General Kim Jong Il"

3) Kim Jong Un (1983 ou 1984 -         )

É o atual líder supremo do país. Assumiu antes do esperado com a morte surpresa de Kim Jong Il (diferente dele, que treinou por décadas pra ser o líder supremo), e enquanto a máquina publicitária do estado se empenha em mostrar as conquistas lendárias de seus dois últimos líderes, ninguém sabe ao certo quais são as conquistas lendárias do Kim Jong Un. Parte do problema está no fato de que a população nunca ouviu muito dele. Ele tinha dois irmãos mais velhos, um foi "capturado" por ser "muito feminino" (gay mesmo) e o outro fugiu do país e foi pego na Disneylândia com um passaporte da República Dominicana. A sensação é de que a população norte-coreana não liga muito pro Kim Jong Un.

Isso não impede que os turistas tenham que se referir a ele como "Marechal Kim John Un".

Em qualquer lugar que você vai no país, você vê isso:


Eu vi esses caras em todos os lugares e a todo momento durante a visita. E não só em todos os lugares públicos: As pessoas são obrigadas a ter essas duas fotos nas paredes de suas casas, e o governo faz uma espécie de vistoria em algumas casas escolhidas aleatoriamente pra checar se as duas fotos estão de fato lá. Todas as famílias recebem uma toalha especial, que é a única que deve ser passada nos retratos deles pra limpá-los. Se forem pegos usando outra toalha, adeus. País normal.

Um monte de regras quanto aos líderes deles são aplicadas aos turistas também. Por exemplo: Sempre que você se aproximar de uma estátua de um deles, você tem que se curvar, e suas mãos devem estar do lado do seu corpo, nunca atrás. Se você quiser tirar uma foto de qualquer estátua deles, deve tirar de corpo inteiro. Se você está com um jornal ou papel que tenha a foto de um deles, o papel não pode ser dobrado e nem jogado fora. País normal.


2) Todo mundo mente sobre tudo, toda hora.


O governo norte-coreano mente para o mundo e pra população. A mídia mente pra população. A população mente pra população. Os guias turísticos mentem para os turistas. A mentira é um negócio intenso lá. As mentiras acontecem toda hora. O governo constantemente diz que os EUA estão planejando um ataque (uma versão 40 mil vezes aumentada da "espionagem" americana no Brasil), a mídia sempre mostra a Coreia do sul como um país que sofre e tem presença ostensiva dos militares americanos, os líderes falam em seus discursos que a qualidade de vida na Coreia do norte é maior do que a do resto do mundo inteiro (e quem discordar deixa de existir). Eles mentem até em pequenas coisas: No nosso tour, passamos por um soldado, que o guia turístico nos apontou como sendo um coronel. Um militar aposentado que estava no nosso tour também, como turista, disse que estudou os uniformes do exército norte-coreano, e que na verdade aquele soldado pelo o qual passamos era um capitão.

Fatos não fazem parte da equação da Coreia do norte.

E isso pode simplesmente foder com a sua cabeça enquanto você os visita. Ficava pensando no que os guias turísticos pensavam, tipo "Eu sei que isso é mentira, você sabe que é mentira, mas eu vivo aqui então tenho que jogar o jogo", ou será que ela acha mesmo aquilo por causa da lavagem cerebral que sofreu? Durante as falsas interações com norte-coreanos que eu tive, ficava pensando "Você é um ator no show de Thurman e pensa que eu sou o Thurman, ou você é o Thurman e eu sou um dos atores? Esse lugar é real? Eu sou real?"

3) Quase todos os turistas são obrigados a ficar sempre em um mesmo hotel

Você sabe porque os turistas ficam nesse hotel? Por que é o único bom do lugar, e porque fica em uma ilha no meio da cidade.


O maior medo do governo de lá é de que um turista saia escondido do hotel e tire fotos de algo que ele (e nem ninguém de fora do país) deveria ver, então essa localização isolada é perfeita. Nunca ficamos fora do hotel sem a presença de um guia e fomos informados que não deveríamos sair de noite sob hipótese alguma. 

E enquanto a maioria do país e grande parte de Pyongyang está sem eletricidade, o hotel sempre está brilhante, com bastante luzes.

4) A propaganda do governo está literalmente em todo lugar


O número de propagandas governamentais na Coreia do Norte é sufocante (como essa, ou essa, ou essa, ou essa, ou essa, ou essa), incluindo panfletos ou jornais dizendo que a guerra das coreias foi causada pelos EUA, e que ele destruiu a Coreia do norte causando um prejuízo de 68 trilhões de dólares. Os nortes-coreanos respiram esse orgulho patriótico que o governo passa pra eles. Existem 4 categorias de propagandas lá: 1) A grandiosidade de seus líderes, especialmente Kim Il Sung; 2) A grandiosidade e majestade do exército norte-coreano; 3) Imagens negativas da Coreia do sul e dos EUA; 4) Imagens do povo norte-coreano vivendo vidas felizes e prósperas.

5) Os guias turísticos não se incomodam em se referir aos norte-americanos como "bastardos imperialistas", nem mesmo na presença de americanos que estão sendo guiados por eles.

Os livros de história da Coreia do norte podem ser divididos em duas partes. A primeira fala sobre como Kim Il Sung é maravilhoso. A segunda fala sobre como os EUA começaram a guerra das Coreias, perderam, e agora querem vingança, com o objetivo de estuprar toda a população da Coreia do norte, mas o "majestoso exército norte-coreano não vai permitir". O governo norte-coreano se empenha em criar o sentimento anti-EUA desde quando perceberam que poderiam colocar a culpa do país ser um lixo neles e justificar o 4º maior exército do mundo mais gastos com armas nucleares, mesmo o país sendo um lixo.

6) Lá não é legal chamar a Coreia do norte de "Coreia do norte".

O termo correto é "Coreia". Todos os mapas do país colocam a península coreana inteira como sendo a Coreia do norte. Na visão deles, eles são coreanos que vivem na coreia, e a parte sul do país está tomada por imperialistas americanos que vivem pra tentar destruir a coreia que os humilhou na guerra da coreia. Loucura.

7) O ano exato do nascimento de Kim Jong Un não é um assunto que deve ser levantado durante sua estadia no país.



Eles não sabem o ano correto do seu nascimento, e isso deixa qualquer norte-coreano nervoso.

8) O mesmo lugar pode ser luxuoso e horrível ao mesmo tempo.

A Coreia do norte é especialista no luxo horrível. Quando um país tenta mostrar que está tudo bem quando tudo está desmoronando, essas coisas acontecem. Por exemplo: Um museu pode ter piso de mármore, grandes estátuas e pilares, mas não ter água no banheiro.

9) A guerra das coreias é o maior acontecimento histórico do mundo pra eles.

Rápido, em que ano foi a guerra das coreias? Você não sabe (se você sabe, acontece). Não sabe porque não é parte da sua vida, foi só mais uma guerra entre muitas. Não é grande coisa na vida dos sul-coreanos também. Eles estão mais preocupados em crescer sua economia, que atualmente é a 15º maior do mundo.

Na Coreia do Norte, eles sabem exatamente quando começou a guerra, que é um tópico constante de conversas do dia a dia. Porém, tudo o que eles aprendem sobre a guerra é mentira. Eles aprendem que a guerra começou quando os EUA, que ocupava a Coreia do Sul na época, atacou a Coreia do Norte pra tentar tomar o controle dela. Eles aprendem que Kim Il Sung derrotou os EUA e que desde então eles permanecem na Coreia do Sul.

A verdade é que Kim Il Sung era um líder marionete colocado lá pela União Soviética (que sabia que podia controlar ele), e ficava pedindo pra eles ajudarem em um ataque a Coreia do Sul constantemente, até que falaram "argh, beleza" e se inicia aí a guerra das Coreias. Os EUA estavam financiando a Coreia do Sul por interesses econômicos, e foram pegos de surpresa pelo ataque. Eles responderam com as Nações Unidas e ajudaram a Coreia do Sul a vencer a guerra. Não importa o que você pense dos EUA, ao menos não foram eles que começaram essa guerra. No museu da guerra, conhecido como "Museu das atrocidades americanas", o guia mencionava a todo momento o negócio dos EUA terem começado a guerra. Todos ali sabiam a verdade, menos ele.

10) Todas as crianças vestem o mesmo uniforme, mesmo quando não estão na escola


Não são toooodas as crianças. Na verdade são as crianças que vivem nas sortudas famílias das partes visitáveis de Pyongyang. Só podemos ter contato com essas famílias, então é essa a impressão que fica.

11) É melhor não falar sobre o prédio gigante em formato de foguete que fica no meio de Pyongyang


O Hotel Ryugyong começou a ser construído em 1987 e ainda não foi terminado. É bem estranho pra uma nação cuja economia estagnou e a infraestrutura está hiper precária. Mas estamos na Coreia do Norte, então por que não?


O guia turístico não mencionou o hotel em nenhum momento, e quando perguntei sobre, ele não respondeu.

12) O mausoléu onde repousam os corpos de seus dois últimos grandes líderes é sagrado


Eu não tirei essa foto. No mausoléu é proibido entrar com câmeras, tivemos que andar em fila e nos curvar três vezes pra cada um dos líderes mortos. Uma das minhas passagens mais tensas por lá.

13) Os semáforos deles são pessoas


14) Os "jogos da população" são bizarros

É como se fossem as olimpíadas de lá, só que com apresentações gigantescas com foco em propaganda. Envolve 100.000 pessoas, muitas são crianças, com apresentações que mostram o glorioso passado e  impressionante modernidade do país. Uma das apresentações, com 20.000 crianças fazendo imagens com cartazes coloridos (eles trocavam as cores conforme o momento), e foi incrível. 

Agora, por que bizarro? Leia a frase "A Coreia do Norte é uma das nações mais pobres do mundo, pessoas morrem de fome e não há eletricidade lá" e depois leia o parágrafo anterior de novo.

Aqui um vídeo da apresentação:

15) Nenhum norte-coreano tem acesso à internet porque isso faria com que elas vissem coisas que fariam com que elas fizessem críticas injustas a países parceiros do ocidente.

Sim, essa foi a explicação que recebi do guia turístico. Eles nem tentam mentir de forma convincente. Os funcionários do governo tem acesso a uma intRAnet com sites norte-coreanos aprovados pelo governo. Pouquíssimos tem acesso de fato à internet.

16) Kim Jong Il usava um Macbook Pro

Eu vi ele com meus próprios olhos. Na parte de baixo do mausoléu tinha uma galeria com vários mapas traçando todas as rotas que o grande líder fez e o trem que ele usou por toda a sua vida pra viajar (ele tinha medo de avião). Eles nos mostraram o interior do vagão que ele ficava, inclusive o local que ele supostamente morreu. Lá, tinha uma roupa dele, e em cima da mesa, um Macbook Pro.

17) As pessoas, quando acompanhadas, andam com passos perfeitamente sincronizados.

Passei por essa cena várias vezes lá:

18) A Coreia do Norte é o lugar onde o museu mostra os bons e velhos tempos

Normalmente, quando você vai no museu de algum país e vê como eram as coisas, pensa "ainda bem que eu não nasci nessa época". Mas lá não, os museus mostram a maravilha do passado pré-EUA. E mesmo assim, parece melhor viver na época da peste negra do que na Coreia do Norte.

19) Aparentemente, as lágrimas do vídeo a seguir são reais


Ok, eu não sei se são mesmo reais, ou se estão chorando porque foram mandados e se não fizerem isso provavelmente vão morrer ou vão para um campo de concentração e morrer. Mas quando eu vi o vídeo, assumi que eles estavam fingindo isso tudo. Mas foi quando ouvi essa história:

O cara que trabalha na companhia de viagens que arranjou esse tour pra mim me contou que ele estava num encontro com um funcionário da agência de turismo do governo norte-coreano fora do país (uma das raras vezes que você vai ver um norte-coreano fora do país dele), quando a notícia da morte do Kim Jong Il apareceu na TV. Ele disse que o norte-coreano estava tentando assinar uma coisa na hora, mas que a mão dele estava tremendo tanto de nervosismo que ele não conseguia. Ele então correu para o banheiro e voltou algumas horas depois, com a cara inchada e os olhos vermelhos. Esse era um norte-coreano fora do país sem motivo algum para fingir uma emoção.

Um ditador totalitarista brutal é bom em uma coisa, vamos admitir: Enganar as pessoas pra ser amado.

20) A Coreia do Norte é o lugar que faz com que você entre na China e pense "Meu Deus, esse lugar é muito livre".


----------------------------------------------------------------------------------------------

Comente com o Facebook: