Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

9 desenhos sob a influência de LSD

LSD é uma droga mágica. Nunca fez mal pra ninguém e faz com que as pessoas tenham viagens virtuosas psicodélicas. Ela é uma droga tão poderosa que levou o governo americano a conduzir experiências a partir da década de 50 com ela. Lembrei disso porque está circulando pela internet uma série de desenhos de uma menina que tomou LSD. Uma dessas experiências do governo americano foi com um desenhista. Administraram doses de LSD e mandavam ele fazer um auto-retrato. Veja como foi:

1º Desenho:


O primeiro desenho foi feito 20 minutos depois da primeira dose (de 50 microgramas, ou 0,05mg). O médico que o acompanhava anota "ele quer fazer o desenho de lápis". O desenhista diz "Nenhum efeito da droga ainda, condições normais".

2º desenho


1 hora e 25 minutos depois da primeira dose, e 20 minutos depois da segunda dose (totalizando 100 microgramas). O desenhista aparenta euforia. "Eu vejo você de forma tão clara...tão clara...isso...você...o todo...estou tendo um pouco de problemas pra controlar esse lápis. Parece que ele quer continuar".

3º desenho


2 horas e 30 mintuos depois da primeira dose. O desenhista aparenta estar extremamente focado no que está fazendo. "As bordas estão normais, porém muito vívidas. Tudo está mudando de cor. Minhãs mãos devem seguir a varredura em negrito das linhas. Eu sinto como se minha consciência estivesse situada na parte do meu corpo que está ativa agora - minha mão, meu cotovelo...minha língua".

4º desenho


2 horas e 32 minutos depois da primeira dose. O desenhista parece estar grudado no papel. "Estou tentando outro desenho. As bordas do modelo estão normais, mas as de agora não estão. O contorno da minha mão estão ficando estranhas também. Não é um bom desenho né? Desisto, vou tentar outro".

5º desenho


2 horas e 35 minutos depois da primeira dose. O desenhista começa outro desenho. "Eu vou fazer um desenho com um toque...sem parar...uma linha, sem pausas!". Depois de completar o desenho, o desenhista começou a rir e depois se distraiu olhando alguma coisa no chão.

6º desenho


2 horas e 45 minutos depois da primeira dose. O desenhista está agitado. Com os minutos passando ele começa a lembrar que quer desenhar mais. Ele praticamente parou de falar. "Eu sou...tudo é...tudo mudou...ele estão chamando...seu rosto...entrelaçado...quem é..." o paciente murmura inaudivelmente.

7º desenho


4 horas e 25 minutos depois da primeira dose. O desenhista deitou na cama e passou 2 horas balançando as mãos no ar. Ele levanta subitamente e começa a desenhar de novo. Ele muda de lápis pra caneta e tinta misturada com água. "Esse vai ser o melhor desenho. Tipo o primeiro, só que melhor. Se eu não tomar cuidado, vou perder o controle dos meus movimentos, mas eu não vou, porque eu sei. Eu sei" (ele repetiu "eu sei" diversas vezes). As últimas linhas do desenho foram feitas com ele correndo de um lado para o outro no quarto. Quando ele chegava na mesa, fazia uma linha e continuava.

8º desenho


5 horas e 45 minutos depois da primeira dose. O paciente continuou a andar no quarto, interseccionando ele de formas aparentemente complexas. Ele senta e fica 1 hora e meia desenhando. Ele fala normalmente agora. "Consigo sentir meus joelhos de novo, acho que o efeito está passando. Este é um desenho muito bom, mas está difícil de segurar esse lápis" - ele segurava um giz de cera no momento.

9º desenho


8 horas depois da primeira dose. O desenhista senta na cama e diz que os efeitos já passaram, exceto pelo rosto dos pesquisadores que de vez em quando distorcem. Pedem pra ele fazer um novo desenho, que é feito com pouco entusiasmo. "Não tenho nada pra falar sobre esse último desenho. Ele é feio e desinteressante, quero ir pra casa agora".

Peguei desse site

Comente com o Facebook: