Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Métodos de tortura bizarros

Muitos foram os métodos de tortura inventados na história para punir aqueles considerados infratores de crimes hediondos na época ou inimigos do estado. Esses são os mais bizarros:

Touro de bronze


Inventado pelos gregos e conhecido por agradar a plateia, o touro de bronze era uma câmara de bronze em formato de touro (não foi necessária muita criatividade pra dar o nome). A vitima era colocada dentro do touro, que ficava em cima de uma fogueira. Ela então, por um período doloroso de tempo, era assada até morrer. Uma mangueira era colocada na boca do touro e presa na boca da vítima, pra ela não morrer por asfixia e sofrer pouco.

Esquartejamento à cavalo


Não tem segredo nesse método. Os membros do cara eram amarrados um em cada cavalo, e os 4 iam em direções diferentes. Mas a pessoa poderia morrer de dois jeitos, dependendo do crime. O jeito mais "leve" era cortar o cara no meio quando o corpo já estivesse quase arrebentando. O segundo era esperar os cavalos arrancarem os membros ou arrebentar o cara no meio.

A roda de ruptura


Esse era um dispositivo de tortura em que seus usos só eram limitados pela imaginação do torturador. Quando a pessoa era segurada no lugar enquanto amarrada e a roda girava, os membros poderiam ser facilmente quebrados. Amarrada ao longo do perímetro da roda, a coluna poderia ser quebrada. Quando amarrada nos raios, ela ficava indefesa contra chicotadas, marteladas, queimaduras, empalação ou animais selvagens. Agora imagine as três coisas juntas.

A filha do limpador


Bom, até agora vimos coisas que alongavam o corpo da pessoa. Esse dispositivo é o contrário. A pessoa ficava de cócoras e o negócio te apertava. A pessoa ficava por dias assim, e o torturador apertava cada vez mais a vítima, até quebrar suas costelas e ela morrer.

Morte por serrote


Existem registros desse método de tortura de milhares de anos. A pessoa era colocada de cabeça pra baixo e os torturadores serravam ela a partir de seus órgãos sexuais, de forma bem lenta. Esse tipo de tortura era reservada a traidores, heréticos e homossexuais.

Pera da angústia


Olha a imagem. Quando você gira esse parafuso, o negócio abria, e era de metal. Bom, imagine isso dentro da sua vagina, caso seja mulher, óbvio, ou no seu cu. Essa era a tortura. O negócio poderia ser aberto até a pessoa morrer, ou podiam parar no meio caso quisessem tirar uma informação de você.

Estripador de mamas


Muitos métodos de tortura eram reservados apenas pra mulheres. Esse negócio era feito pra rasgar a pele dos seios.

O Berço de Judas


Essa morte certamente é uma das piores desse post. A pessoa era colocada em cima dessa pirâmide de ferro, e aí ela tinha que fazer uma escolha: Pra permanecer viva, ela tinha que ficar contraindo os músculos do cu, a.k.a esfíncter, ou então essa fodendo pirâmide rasgaria o cu dela. A morte é certa, e você pode escolher entre parar de contrair o cu voluntariamente e morrer logo, ou ficar contraindo até seus músculos não aguentarem mais e você morrer.

O garfo do herético



Esse método não era só usado como tortura, como também era usado pra punir heresia depois de uma confissão. Falar ou engolir enquanto o dispositivo estava colocado na vítima era quase impossível. Muitos morreram por fome ou infecções quando estavam com esse negócio, mesmo quando a pena dada à vítima não era de morte.

Cadeira de ferro


Uma vez colocada nessa formidável cadeira, a vítima geralmente sofria outras torturas, como ratos colocados no corpo, queimaduras no pé, espancamento, ou qualquer coisa que sua mente doentia conseguir imaginar.

Tesouras de crocodilo


Poucos registros do uso desse método de tortura foram achados, geralmente como punição pra tentativa de assassinato. Essa é uma versão masculina do estripador de mamas. Sim, isso mesmo, o pau do cara era colocado na boca do crocodilo, que então era fechada repetidas vezes. O negócio de pele e carne esmagada que ficava servia pro cara lembrar pro resto da vida: não tente matar seus amiguinhos.

O divisor de joelhos



Não era usado só em joelhos. Qualquer coisa colocada ali virava cocô na hora que o negócio fechava. Porém, era comum que o joelho da pessoa fosse esmagado ali, e com uma bela de uma marretada, o joelho ficava inutilizado pra sempre.

Água congelada


Esse método é usado até hoje. A vítima é presa do lado de fora em um lugar bem frio, e de tempos em tempos alguém vem e joga água nela. A água vai congelando, e depois de agonizar no frio por uns 2 dias a pessoa morre.

Burro espanhol


A pessoa ficava sentada desse jeito no "burro" e o torturador colocava pesos cada vez maiores nos pés da pessoa. Existem registros de algumas vítimas terem sido partidas no meio depois de muito peso colocado em seus pés.

Comente com o Facebook: