Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

O jogo de cartas de 1995 que previu os ataques ao World Trade Center

Illuminati: New World Order é o nome do jogo lançado por Peter Jackson Games em 1995. Foi eleito o melhor jogo de cartas em 97. Por conta de algumas cartas, como a "Terrorist Nuke", muitos acham que o jogo tenta revelar os planos dos Illuminatis de forma subliminar. Mas acaba que esse jogo termina sendo um ótimo passatempo pra quem gosta de "ler" os movimentos de outras pessoas, ou de política. Como funciona a mecânica do jogo? Você controla uma das 8 facções de Illuminatis do mundo, e cada uma delas tem um objetivo que não pode ser revelado aos outros jogadores. Existem cartas de ação, que fazem certo grupo dar certa vantagem pra você, ou destruir tal grupo, ou qualquer merda assim. Tem as cartas que dão bônus aos grupos que controla ou às coisas que controla, e as cartas de grupo. Dá pra controlar desde o partido democrata até o movimento feminista no jogo. 


Pentágono e dois prédios iguais atacados, lembrando muito o ocorrido em 2001. Falarei sobre as cartas também, mas não sobre uma suposta conspiração, e sim explicando suas referências. A NSA é a agência de segurança nacional dos EUA, e ganhou muito destaque na mídia quando documentos dela vazaram, então você já deve ter ouvido falar. A Carta "Whistle Blowers", ou assopradores de apito, simula uma pressão total da sociedade em certos grupos políticos, paralisando pautas. Pode-se ler a frase "Eu amo meu país. É o meu governo que eu odeio".


O mais próximo que temos do "Earthquake projetor", ou "Projetor de terremotos" é o HAARP, uma investigação da força aérea dos EUA com o objetivo de "entender, simular e controlar os processos ionosféricos que poderiam mudar o funcionamento das comunicações e sistemas de vigilâncias". Alguns acreditam que seja uma arma que controle o clima e possa criar catástrofes nos alvos. A "Tidal Wave" é uma onda gigante que você pode usar contra áreas costeiras, provavelmente criadas com algo como o HAARP.


Veja como o jogo é gigante: Você tem Gadgets que pode usar pra incrementar coisas, e a primeira carta "Gênios do mal pra um futuro melhor" faz com que você atribua gadgets ao grupo "gênios do mal", e se eles forem destruídos, os gadgets vão também. Os gadgets podem passar de pessoa pra pessoa, mas com essa carta não. Na segunda carta ali do laser doido, você pode adicionar, remover ou inverter o posicionamento ou alinhamento ideológico de certo grupo. Aí temos cartas da NASA e de uma base espacial, onde descobrimos que existem propriedades espaciais no jogo, e que você pode ligar personalidades às suas propriedades, e pode tanto tentar matar as personalidades dos outros jogadores, como tentar destruir ou danificar as propriedades deles.


A primeira carta faz com que você cancele a rodada de ataque de alguém caso a pessoa ataque um grupo midiático e falhe (esse jogo talvez faça você entender mais ou menos como as coisas funcionem mesmo, é um jeito infantil de explicar as coisas. O jogo é baseado em um romance dos anos 70 que fala disso melhor). No segundo temos a carta da KKK, temos o cérebro do Hitler e o Pé Grande. O pé grande pode ser usado pra distrair a mídia e cancelar uma ação dela. Na carta do KKK vemos que existem grupos pacíficos e grupos violentos.


Se você usar a carta do Vaticano, a estrutura que você escolher ficará imune a ataques de grupos pacíficos. A ditadura religiosa pode ser usada pra mudar uma ação de outro jogador que tenha um grupo conservador ou que tenha a influência de conservadores (conservador aqui em um sentido que não diz respeito ao conservadorismo, mas aos que se acham conservadores mas são tradicionalistas). A igreja de Satan é usada pra atrair ataques e ser usada como distração, e temos os nazistas da América do sul, que dá mais controle em grupos de ciências estranhas.


Temos o Centro de controle de doenças que pode tanto trazer alívio pra áreas devastadas como fazer ataques biológicos em algum lugar. Nesse grupo temos comunistas fanáticos que jogam ácidos, com bônus de ataque pra grupos de direita.


Aqui temos uma referência a pessoas como Yuri Bezmenov, um ex-agente da KGB que dava palestras nos EUA sobre como a União Soviética praticava a subversão em países pra poder ganhar o poder lá. Se quer ver como era, ele explica aqui. Temos cartas aqui que mostram o mercado musical sendo usado pra manipulação, a mídia pra expôr grupos rivais e centros de experiências que não podem ser levadas a público.


Essas cartas mostram o uso da influência da mídia pra reviver um grupo, mensagens subliminares pra influenciar pessoas, e uma coisa que nos remete muito à situação do mercado musical agora, nas últimas duas cartas. A primeira faz sentido. A segunda é conspiração é até me diverte pensar na possibilidade de ser real. A carta se chama "O estranho se torna profissional", e vemos um cara enfeitando um artista de forma bem estranha (comum no mundo musical), e uma frase: "Quando as coisas ficam estranhas, o estranho se torna profissional". Uma coisa interessante sobre o assunto é um vídeo do Bill Whitle que ele relaciona a relação do grotesco nas artes com a decadência civilizacional. Veja também um documentário chamado "A importância da beleza", legendado aqui. O segundo diz respeito ao processo que todo site de conspiração fala, de usar artistas pra certos fins, e quando ele alcança, é desprogramado e vira maluco. Falam que quando a Britney raspou a cabeça e ficou doida, por exemplo, estava passando por uma desprogramação. Procure por "desprogramação illuminati" no Google e acha várias coisas sobre. É papo doido pra'quela rodinha de maconha da sua turma, vai na minha.


Aqui vemos a Receita Federal pegando dinheiro das pessoas, líderes carismáticos sendo usados pra influenciar massas e aumentar o poder de grupos fanáticos, a disputa do mercado de drogas ilegais e traficantes chegando ao poder.


As forças de emergência podem ser usadas a qualquer momento e um grupo governamental ganha mais poder. A lei marcial dá mais resistência ao governo. Vemos também aqui protestos e "sobrevivencialistas" que acreditam em uma catástrofe próxima. A carta dá vantagem ao grupo em catástrofes.


Vemos a galera da mídia vivendo no luxo e apoiando grupos de esquerda, uma polícia local aparentemente preguiçosa e ineficaz, indústria do tabaco se aproximando do estado e as nações unidas dando pontos extras em tentativas de controlar uma nação. 


Mestres das corporações, políticos corruptos, corrupção e fome mundial.


Ditaduras e revoluções que querem outra ditadura. 


Temos aí a carta da nacionalização da indústria, onde vemos uma lanchonete virar o "Departamento federal de lanche", e a carta de privatização, onde o "Coletivo glorioso e revolucionário de distribuição de comida das pessoas" vira o Burger Czar. As outras duas cartas, quando colocadas, ora aumentam a desconfiança entre classes sociais, ora diminuem.


Especulação financeira, Wall Street, Republicanos e Democratas.


Ronald Reagan, George Bush, Bill Clintos e Advogados.


Dizem que mais uma previsão está aqui, na carta "Princess Di". Ela morreu depois do jogo ser lançado.


Nessas cartas temos programas infantis sendo usados pra manipulação, além de apresentadores de programas e a agenda da esquerda.


Máquina de clones sendo usada pra substituir personalidades, psiquiatras sendo usados pra destruir a mente delas, Companhias de energia nuclear usadas pra atacar ou fortalecer, e epidemias.



Esses são os grupos Illuminatis. Beijos, Ovelhas. 

Comente com o Facebook: