Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Um livro infantil macabro sobre abusos em rituais satânicos


"Não me faça voltar, mamãe" é um livro de 1990 escrito por Doris Sanford. Ele foi publicado no meio de uma histeria coletiva por conta do uso de crianças em rituais satânicos, pauta que não saía da mídia na época. Várias acusações de uso de crianças em rituais, que envolviam desde estupro até sacrifício, apareceram, e hoje sabemos que foram todas denúncias fabricadas com entrevistas forjadas, relacionando uma espécie de creche pública, chamada "daycare center", com uma conspiração satânica em todo o país.

O livro deve ter sido feito pra ajudar crianças a identificarem sinais de que seriam usadas em rituais, mas acabou que ele é um dos livros mais terríveis que eu já vi. Ele é escrito em códigos que só crianças que foram vítimas dessas práticas (que existiram, embora a histeria tenha sido fabricada), e isso faz com que ele seja bem estranho pra pessoas que não foram vitimas de rituais satânicos.



"Mamãe disse, 'Você foi uma boa menina? Você fez tudo o que eles mandaram você fazer?'. Allison, falando de forma bem suave, disse, 'Eu fui boazinha. Eu obedeci. Meu professor é bom, mas eu não gosto do suco da escola. Eles chamam de "suco mágico" mas o gosto é estranho'. E o professor disse, 'Talvez ela esteja muito cansada e vá dormir cedo. Ela brincou bastante hoje".

Essa página fala sobre um "suco mágico" dado pelo professor, que é um código pra drogas. A imagem mostra coelhos brancos em uma gaiola, usados nos rituais.. Os 'professores' (mestres do ritual) costumavam machucar os coelhos pra mostrar pras crianças o que aconteceria se elas não seguissem as suas ordens.


"Meu professor disse que a razão dele trancar a porta é que ficaríamos mais seguros lá dentro. Ah, e adivinha só, mamãe? Eu me casei hoje".

Essa página estranhíssima fala sobre uma criança que foi trancada e diz também que a criança "se casou". Atrás da mãe nós vemos uma parte de um vestido de noiva. Isso é por conta de um terrível ritual onde as crianças eram transformadas em "noivas de satã".


"De noite nós vamos brincar de 'doces ou travessuras' todos juntos, e então vamos ter uma celebração especial por conta do aniversário da Becky".

O Halloween também é o dia do Samhain (no hemisfério sul é comemorado no dia primeiro de Maio). Acredita-se que esse é o dia onde o véu que separa o mundo material do espiritual está mais fino. "Aniversário da Becky" seria um código pra um dos rituais.


"Nada do que acontece no círculo pode ser dito fora dele. Não tem como sair porque ele não tem fim. Seus pais deram vocês pra gente, eles sabem o que está acontecendo"

Aqui vemos a Becky pelada no meio do círculo mágico onde o ritual satânico está pra começar. As palavras ditas nessa página é uma das coisas que os condutores do ritual diziam pras crianças pra manter elas obedientes.


"Minha outra mãe disse que eu não preciso mais usar o penico. Eu não vivo na SUA casa, eu vivo NA MINHA casa, você sabe. Eu não quero mais remédios no meu bumbum e eu não quero mais fotos na sala do astro de cinema. Eles me machucam, mamãe. Eu tô mal, muito mal.

Essa página faz referência a várias coisas que acontecem nos rituais: O mestre do ritual se tornando "outra mãe", a mãe perdendo o seu título, drogas injetadas e abuso sexual.


"Eu não quero tirar minhas roupas pro doutor e andar pelada por aí. Ele vai me dar injeções do mal, mamãe. Vão acontecer mais coisas ruins. Eu quero ir pra casa. Eu JÁ TIVE a cirurgia mágica. Eles colocaram um monstro em mim".

A criança novamente usa um código, "cirurgia mágica", pra um abuso sexual. Note o que ela está fazendo com o coelho.


"Doutor, ela tem pesadelos horríveis. Ela não come certas comidas, e fica nervosa quando eu peço pra ela vestir certas roupas. ALGUMA COISA ESTÁ ERRADA. Ela até mordeu o cachorro essa semana. Olha pra ela agora, fingindo que está morta. Acho que alguma coisa aconteceu no daycare center (a creche)"

Veja o coelho morto ao lado da criança. Os coelhos, como você viu, eram usados pra ameaçar as crianças. Aqui a página mostra como a criança percebe o que vai acontecer com ela se não obedecer as pessoas do ritual.


"Davey, morrer é como ir pro filme muito cedo e ver o final desse filme na sessão anterior antes de você ver o resto, e então ficar pra assistir ao filme desde o início"

Olha pra cara do menino. Ela vai ficar na sua mente. Lembre dela quando for dormir.

Comente com o Facebook: