Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Muito jovens pra casar - O drama de meninas em casamentos arranjados

A fotógrafa Stephanie Sinclair fez essas fotos pra uma ONG chamada "Too young to wed", que luta contra os casamentos arranjados de crianças. Quando eu digo que o feminismo não faz sentido no Brasil, ele faz muito sentido na Índia ou no Afeganistão, por exemplo, onde a falta de respeito pela liberdade da mulher é endêmica. O feminismo deve ser uma ênfase à mulher no conceito de individualismo, onde todo indivíduo deve ser respeitado com base na sua condição de indivíduo. Onde a condição de indivíduo de alguém não é respeitada pelo fato desse indivíduo ser mulher, uma ênfase na mulher deve ser feita, dizendo "oras, mulheres são indivíduos também!". Aqui temos alguns casos onde meninas foram obrigadas a se casar:


Tehani, 8 anos, Iêmen. "Sempre que eu o via, me escondia. Eu o odeio". Tehani, na frase, lembra dos primeiros dias de seu casamento arranjado. Ela tinha 6 anos, e ele, 25. Essa foto foi tirada com outra noiva arranjada, Ghada, do lado de fora da casa deles.


Destaye, 11 anos, e Addisu, 23, na Etiópia. Eles foram arranjados em uma cerimônia tradicional ortodoxa comum nas áreas rurais do país. Como Addisu é um padre, a tradição diz que ele deve se casar com uma virgem. Por isso Destaye foi obrigada a casar com ele.



Rajani, 5 anos, Índia. De madrugada, ela foi tirada da cama pelo seu tio e levada pro seu casamento. O casamento infantil é ilegal na Índia, então as cerimônias são feitas de madrugada pra evitar a prisão dos envolvidos. Esse tipo de casamento se torna um segredo mantido pela vila inteira, explica um fazendeiro.


Bishal, 15 anos, e Surita, 16, no Nepal. Bishal, na foto, aceita presentes de casamento, enquanto a noiva Surita senta angustiada em sua nova casa. No Nepal os garotos também são obrigados a casar, independente de suas vontades.


Faiz, 40 anos, e  Ghulam, 11, no Afeganistão. Eles estão posando pra um retrato antes do casamento. De acordo com o documento do departamento de estado dos EUA, "práticas dos direitos humanos de 2011", aproximadamente 60% das garotas são obrigadas a casar antes da idade legal do país, que é de 16 anos. Assim que o pai concorda com o casamento, a menina é tirada da escola.


Sarita, 15 anos, Índia. Ela chora durante a cerimônia, antes de ser mandada pra casa de seu noivo. No dia anterior, ela e sua irmã de 8 anos foram obrigadas a se casar com dois irmãos.


Leyualem é levada de mula pra casa de seu noivo, após o casamento. A roupa foi colocada na cabeça dela pra que ela não conseguisse encontrar o caminho de volta pra casa, caso decidisse fugir de seu novo marido.


Asia, 14 anos, Iêmen. Ela limpa seu bebê recém-nascido enquanto sua irmã de dois anos brinca ao lado. Ela ainda sangra do parto, e não faz ideia de como cuidar de si mesma, quanto mais de um filho.


Mejgon, 16 anos, Afeganistão. Ela chora nos braços da mulher que a cuida em um abrigo pra mulheres. Ela parou lá porque fugiu do marido com o qual foi obrigada a casar. O pai dela a vendeu pra um homem de 60 anos por duas caixas de heroína.


Bibi Aisha, 19 anos, Afeganistão. Numa prática conhecida como "baad", ela foi dada a um terrorista do Talibã porque matou um membro da família dele, "pra compensar". Ela tinha 6 anos quando isso aconteceu. Ela se casou com 16 anos e constantes abusos começaram. Quando fez 18, ela fugiu, foi pega pela polícia, presa, e depois devolvida pra sua "família". O seu padrasto, marido e três outros membros dessa família levaram ela pras montanhas, cortaram o nariz e as orelhas dela, e deixaram-a lá, pra morrer. Sobreviveu e está em um abrigo.


Jamila, 15 anos, Afeganistão. Uma policial prendeu o marido dela por esfaqueá-la por desobediência. Ao ser perguntada sobre o que aconteceria com ele, Kakar, a policial, respondeu: "Nada, homens são reis aqui". O Talibã matou a policial pela prisão.


China, 18 anos, Etiópia. Ela fugiu do marido e acabou sendo sequestrada e traficada. Ela agora é obrigada a se prostituir. Essa foto foi tirada após ela ter sido violentada por um dos clientes.


Maya e Kishore na foto de casamento.


Nujood, 12 anos, Iêmen. Essa é ela dois anos depois do divórcio, após fugir de um homem de mais de 20 anos. A história dela causou polêmica no país, e fez com que uma proposta de lei, instituindo uma idade mínima pro casamento, fosse criada. A lei ainda não foi aprovada.

Gostou do post? Leia:

Comente com o Facebook: