Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

15 fatos históricos um tanto constrangedores

Todos esses posts de fatos históricos sempre relatam coisas heroicas ou extremamente covardes a ponto de matar milhões. Mas esse é sobre fatos sexuais. Eu não pude colocar no título isso porque se eu coloco algo relacionado à sexualidade ali os códigos automáticos de meus anunciantes retiram os anúncios (sou sincero). Mas além de sexuais, duvido que as pessoas envolvidas iriam querer que hoje eles viessem à tona, por isso não menti no título.  Alguns não são sexuais, mas são constrangedores. Veja:


Annie Frank era obcecada por sexo e masturbação, e em seu famoso "Diário de Annie Frank", ela falava muito sobre isso. A versão que você compra na Saraiva é muito editada.


Durante a batalha de Agincourt, os arqueiros ingleses marcharam sem calças (outros historiadores dizem que as calças estava apenas arriadas) e possivelmente lutaram assim. Isso porque na época a diarreia era muito comum, e com as calças desse jeito eles não precisavam desviar o foco da batalha pra soltar o barro cremoso.



Por centenas de anos, mulheres da realeza faziam o parto com uma plateia assistindo. Era um grande costume, principalmente na realeza francesa. Maria Antonieta foi quase morta pelo amontoado de pessoas que tentavam assistir ao seu parto. 


Os confessionários, originalmente, não foram criados pra criar privacidade, e sim pros padres pararem de transar com jovens mulheres. Isso porque o alto clero da igreja descobriu que alguns padres estavam dando como penitência uns boquetes, um analzinho, etc, e criou a separação entre padre e fiel pra evitar isso. A regra da igreja era clara: mulheres deveriam ser ouvidas só no confessionário, ou em lugares abertos onde pessoas pudessem ver, ou em capelas abertas e bem iluminadas.


Catarina, a grande, foi uma czarina russa. Ela tinha um salão sexual secreto com diversos enfeites que remetiam ao erotismo, como essa cadeira foleada a ouro. Soldados soviéticos descobriram a sala durante a segunda guerra mundial. 


As pessoas da Roma Antiga usavam uma planta chamada silphium como método contraceptivo. Essa planta se tornou tão valiosa que era impressa nas moedas de prata. De um lado a semente, de outro a planta em si. Alguns historiadores acreditam que o modo como desenhamos o coração popularmente hoje vem da semente da silphium. Ou seja, se isso for verdade, simbolizamos o amor com a semente de um anti-concepcional.


Mozart escreveu uma música chamada "Leck Mich im Arsch" que traduzida fica "lambe a minha bunda". Essa foi apenas uma das várias músicas "pesadas" que ele escreveu. Essa em questão, ele escreveu com amigos e era pra ser cantada por 6 vozes em festas.


Gandhi conduzia "experimentos de castidade" um tanto bizarros. Ele dormia com jovens garotos e garotas nuas, mas eles eram punidos se falassem ou praticassem qualquer coisa ligada a sexo. Muitos historiadores dizem que ele teve casos sexuais com alguns desses jovens. Ele também dormia e tomava banho com sua assistente pessoal, mas ele dizia que não havia nada de errado com isso porque ele fechava os olhos.


Jean-Jacques Rousseau, um filósofo nojento, era tão obcecado pela ideia de apanhar na cama que certa vez correu em uma estrada com a bunda de fora atrás de mulheres implorando pra que elas batessem nele. Ele confessou isso em sua auto-biografia.


Durante a ocupação dos nazistas na Noruega, soldados da resistência colocaram óleo de croton em embalagens de sardinha e colocaram elas onde ficavam os alimentos do exército alemão. O óleo de croton é um laxante muito poderoso. Aí você já sabe o que aconteceu com o exército nazista por lá. Isso nem é constrangedor, é legal de saber.



No dia 7 de Setembro de 1642, Thomas Granger se tornou o primeiro homem a ser sentenciado à morte nos EUA (ainda não era EUA, mas foi por lá). O crime foi transar com uma vaca, uma égua, dois bodes, diversas ovelhas, um bezerro e um peru. A comunidade animal de lá deve comemorar o 7 de Setembro também.


Em certo ponto de seu mandato presidencial, Lyndon B. Johnson concedeu uma entrevista pra um repórter que perguntou diversas vezes a mesma coisa: por que as tropas estão no Vietnã? Na 15ª vez, o presidente ficou puto, colocou o pau pra fora e disse "estão lá por causa disso", apontando pro pau. O repórter parou de perguntar isso. O incidente foi divulgado pelo seu biógrafo Robert Dallek.


Uma mulher sedenta por sexo era diagnosticada com "histeria feminina" lá pelo século 19 e o tratamento consistia em levar umas dedadas do médico. Acontece que levar dedadas pelo médico virou uma espécie de fetiche, e muitas mulheres começaram a fingir estar com a tal histeria feminina só pra gozar com o doutor. Os médicos começaram a reclamar que temiam pelos seus pulsos, e então o vibrador foi inventado (sério).


Na Irlanda, durante a era do ferro, a cerimônia de posse de um novo líder consistia no rei transando com uma égua branca na frente de uma plateia, que depois ela era comida. Uma das principais divindades célticas era a Epona, uma deusa protetora dos cavalos. Ao transar com o cavalo, acreditavam que o rei estava se unindo com a terra deles. Epona também é o nome do cavalo do jogo Zelda.


Quando o país de Gales se tornou parte do reino unindo, os galenses descobriram que a punição pra quem transasse com uma ovelha (perder um dedo) era menor que a de quem roubasse uma ovelha (perder a mão). Isso fez com que toda vez que um galense dissesse, quando flagrado, que estava transando com a ovelha, quando na verdade ele estava roubando ela, só pra receber uma punição menor. Os galenses ficaram com a fama de comedores de ovelhas depois disso.

Fatos reunidos pelo Distractify e comentados por mim

Gostou do post? Então veja também:

Comente com o Facebook: