Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Gosta de frio? Veja como é o cotidiano na cidade mais gelada do mundo, Oymyakon

Essa cidade seria o teste final pra'quelas pessoas entusiastas do frio, que publicam "frio *coraçãozinho*" e fazem questão que todos saibam que ela gosta de frio. Idolatria do frio, vê se pode. Eu só gosto do frio durante o calor, e vice-versa. Eu viveria em um estado de constante insatisfação climática, se não fossem pelos míseros dias de frio que chegam pra acabar com o calor, ou o contrário.

Hoje conheceremos a cidade de Oymyakon, no leste da Sibéria, considerada a cidade mais fria do mundo (ela é conhecida assim por deter o recorde de temperatura mais baixa em uma região permanentemente habitada). O fotógrafo Amos Chapple foi lá pra retratar o cotidiano do povo de lá.


Um homem deixa a van ligada do lado de fora da única loja da cidade, que queima o lixo naquele barril à direita.



A placa da era soviética diz: "Oymyakon, o pólo do frio", e fica no centro da cidade, que tem cerca de 500 habitantes.


Um bêbado de lá. Ele avisou o fotógrafo pra ficar fora das ruas de noite porque nesse período "as ruas são minhas".


Um homem indo embora da loja de conveniência da cidade


Um trator pegando carvão, uma das coisas mais usadas da cidade


O aquecedor da cidade, à esquerda, fornece ar quente por dutos pra cidade inteira. Agora ficou mais fácil entender a importância do carvão.


Uma van Uazik e dois homens nas matas túndricas que cercam a cidade. As vans soviéticas são muito usadas na cidade por conta da resistência ao frio que elas possuem. Elas também têm aquecedores na frente do banco do passageiro. Elas são conhecidas como "pães" pelo formato (formato de pão, só pra esclarecer).


Um posto de gasolina entre Oymyakon e Yakutsk. Esses postos extremamente remotos como esse ficam abertos 24 horas por dia. Isso faz com que a rotina de trabalho dos funcionários seja um tanto curiosa: 2 semanas seguidas de trabalho e 2 semanas de folga. Você pensa "meu Deus, 2 semanas sem parar?" e depois pensa "meu Deus, 2 semanas de folga???". Nessa parte o fotógrafo vai pra cidade ao lado porque não deve ter mais nada na primeira cidade.


Um banheiro entre as duas cidades. Dentro, duas tábuas em cima de um buraco, que merda congelada quase até a boca.


Já na cidade de Yakutsk, vemos uma mulher andando em uma ponte congelada.


No mercado do centro de Yakutsk, uma vendedora segurando uma lebre ártica, junto com muitos peixes congelados (o bom é que ao ar livre eles já ficam conservados).


Um cão de guarda no subúrbio de Yakutsk


Bolhas de ar quente que se formam nessas casas fechada começam a sair pela janela, que forma gelo instantaneamente, criando esse efeito aí.


Estátuas da era soviética, comemorando "as glórias" da segunda guerra mundial, no centro de Yakutsk.


Um semáforo de pedestres totalmente congelado


Uma mulher entrando numa igreja de Yakutsk no Natal (por lá, é comemorado no dia 7 de Janeiro). O legal é que todo lugar que você entra tem um efeito neblina especial pra sua chegada.


Sabe uma curiosidade louca de lá? A cidade fica muito perto do ártico, fazendo com que, durante o inverno, os dias tenham 21 horas de escuridão. A média de temperatura de lá é de -58º. Gosta de frio? Visite Oymyakon (ah, o recorde de temperatura: -90º). 

Gostou do post? Então veja também:

Comente com o Facebook: