Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Você não sabe o que você não sabe que não sabe. E saber disso é o primeiro passo pra conhecer o desconhecido.

Se o título não fez sentido pra você e acha que eu só fiz um trava-línguas sem nexo entre as palavras, você sofre de analfabetismo funcional. É um problema sério e você precisa buscar ajuda. Ligue 0800 708 6617 para o disk.AF, novo serviço do ministério da saúde mental (o 59º e mais recente ministério criado nesse governo) e se informe sobre quais procedimentos adotar.

Existem níveis de coisas que não sabemos, a partir da ótica de nosso ser. Existem as coisas que sabemos que não sabemos. Por exemplo, eu sei que não sei tudo sobre engenharia aeroespacial. Eu sei que existe, sei mais ou menos para o que serve, sei que deve ser muito complicado e ter muita coisa a ser estudada, mas sei que não sei. Mas e quanto as pessoas que nunca ouviram falar de engenharia aeroespacial? Elas não sabem que não sabem sobre engenharia aeroespacial, porque sequer sabem da existência desse algo para ser sabido. 

Agora pense nas coisas que você não sabe que não sabe. Suponha as coisas que você não sabe que não sabe. Tente imaginar o inimaginável. O que você imagina? Muito provavelmente você não sabe explicar, vendo assim que até na sua própria mente existem coisas que você não sabe que não sabe. Existem até coisas no seu eu, que te influenciam em muitas coisas, que você sequer concebe que possam existir pra afetar algum parâmetro. Considere essa imagem:


Tudo bem estar em inglês e você não saiba o idioma, se for o caso. No centro do círculo vemos um nível com 6 emoções. Se aprofundando em cada uma das emoções, constatando diferentes nuances mais discretas e sublimes, vemos mais diversas emoções em um segundo nível, que se ligam aos seus "elementos" originais, porém formando estruturas mais complexas de funcionamento da emoção. Depois ainda temos um terceiro nível, mais evoluído portanto, de emoções todas derivadas dessas últimas e formadas em um nível ainda maior de complexidade emocional. Então te pergunto: O que nos aguarda no quarto nível? Será que existiu um momento na Terra onde só existiam humanos que conseguiam atingir o segundo nível? Será que existe alguma outra linha evolutiva de algo inerente a nós, como o espírito, onde evoluímos de forma exponencial porque obedece outras leis que não a da evolução biológica? E de novo: O que nos aguarda no quarto nível? E no quinto? Sexto? Etc. 

E seguindo o espanto que se sucede a percepção do quanto há de se perceber por aí, será que essa estrutura de níveis que transcendem e englobam o anterior só existe no campo emocional? Ou será que é pra tudo? Será que dá pra descrever a personalidade humana também? E se sim, que outras coisas funcionam assim? 

Procure saber o que você não sabe que não sabe. Pode dar medo no início, mas é que nem pular na piscina.

Ah, quer saber ou pelo menos ter um gosto dos próximos níveis emocionais?

Comente com o Facebook: