Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Quando você finalmente supera alguém e tem um surto psicótico guiado pela inveja

Já que admirar uma pessoa e elogiá-la em demasia, sem se preocupar com a própria imagem, virou crime num meio onde o narcisismo delirante impera, cada vez é mais comum o termo "inveja boa". É como dizer "estupro bom". A inveja nunca é boa e quem usa tal termo é no mínimo analfabeto funcional (e não raro mau caráter). O adepto da "inveja boa" sempre tem que colocar o Eu dele no meio de tudo, não conseguindo simplesmente ficar feliz por alguém sem desejar estar naquele lugar.

Esse sentimento é sempre predatório e surge de duas maneiras: 1) A pessoa já almejava algo antes e sente raiva de qualquer um que conquiste tal coisa antes dela; 2) A pessoa, não aceitando seu fascínio por outra, já que ela idolatra seu Eu e admirar de forma pura uma pessoa vai contra a realidade que criou em sua cabeça pra admitir que o Eu dela pode ser idolatrado, transforma isso em raiva, e ela irá desejar tudo o que essa pessoa tem ou quer.

Óbvio que, você que usou essa expressão e não tinha nenhum sentimento ruim quanto à pessoa deve estar puto da vida. Não te condeno. Se você sabe no fundo do seu Eu que não tinha má intenção, seu erro é apenas semântico, e recomendo que busque mais aprendizado pra não cometer erros tolos assim. De qualquer forma, nada condenável.

Por último, não tenha medo de admirar alguém. Para ser grande um dia, deve-se admirar os maiores que você.

Na tirinha do Jolly Jack, um invejoso consegue superar o invejado, e finalmente pode liberar seu impulso psicótico sem parecer inferior (na mente doente dele). Veja:


Tem um extra depois do final:


Gostou do post? Então veja também:

Comente com o Facebook: