Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

O FROUXO, A LACRAIA e o MALANDRO - O que acontece em um meio sem homens bons de caráter forte

Um fenômeno interessantíssimo, mas não por isso menos alarmante, tem acontecido em grupos de amigos de homens de todo o país. É o fenômeno do Frouxo, do Malandro e da Lacraia, três arquétipos deprimentes de homens. Se esse fenômeno causasse mal apenas pra própria pessoa atingida, não daria a devida atenção, mas ele só foi percebido por mim justamente por causar mal a todos os que estão ao redor delas.



Primeiro vou ver o que o malandro e a lacraia têm em comum, pra poder explorar as possíveis causas e, em seguida, enxergar os aspectos de cada um. Depois verei o frouxo.

A lacraia e o malandro são escravos do desejo. Eles só conseguem agir em função deles. Saem em casa e acordam todo dia pra viver em função de desejos como bens materiais (O carro, o uísque importado, e essas coisas que você sabe bem), sexo e anestesiamento da consciência (seja com álcool ou com outras drogas).

Só que o sexo na mente desses dois tipos de cara não funciona do jeito normal, onde o objetivo do sexo é algo maior, um simbolismo de união entre carne e espírito de alguém que você ama. Na verdade, há um grande trabalho mental pra eliminar esse significado do sexo pra que o frouxo e o malandro aceitem o sexo pelo sexo. Quando o sexo pelo amor é eliminado da mente de alguém, não tem como ela começar a fazer o sexo pelo sexo (embora ela pense que tem sim). Como está inerente ao Ser Humano um significado pra isso, ele precisa achar outro. Como ele é um escravo do desejo, o sentido do sexo, logicamente, está no desejo. Só que um efeito dessa causa, que passa desapercebido mas não deixa de acontecer, é você desejar o DOMÍNIO de alguém. Em relações de qualquer tipo com outras pessoas, se você não está se doando, está consumindo. A partir do momento em que ele aceita o sexo pelo desejo, aceita também consumir pessoas (isso é importante pra entender o motivo deles fazerem certas coisas).

Se uma pessoa aceita consumir pessoas, ela aceita também usá-las, e passa a não ver mais nada de errado em simular amizades pra conseguir sexo, por exemplo, ou até mesmo em sair com o intuito de conseguir sexo com a pessoa X, uma incógnita que, sem mesmo ser conhecida pela pessoa, já se sabe que será consumida. Fica óbvio aqui que numa questão de segundos, a partir do momento que você aceita usar pessoas em função de seus desejos, você aceita também mentir pra elas. A verdade deixa de ser um parâmetro básico pra relações interpessoais, já que o desejo tomou o seu lugar. A verdade e a mentira passam a ser só convenientes, e ditas conforme a conveniência das situações (com base em seus desejos, claro).

Uma consequência periférica disso é o anestesiamento da consciência. Como todos nós tendemos ao bem, e temos algo pedindo pelo bem, ao fazer essas coisas a pessoa sente culpa, quer ela queira, quer não. Pra eliminar essa culpa sem chegar na redenção, a pessoa precisa criar um processo de trocas de informações da realidade, um auto-convencimento de que o certo é o errado, moldando a realidade pra que não se sinta culpa, já que, guiada pelo desejo, não se quer sentir isso. O anestesiamento da consciência facilita esse processo, e a pessoa acaba afinando a membrana da consciência pra que consiga não sentir mais culpa.

A lacraia e o malandro odeiam ficar sozinhos, justamente pra evitar auto-análises, muito doloridas pro ego artificialmente inflamado. Eles sempre procuram estar com alguém em todos os momentos, não vivenciando silêncio contemplativo algum. Também não ligam de corromper pessoas, fazendo isso pra ter certeza de que "não estão erradas". Se a pessoa se sente culpada por usar cocaína, por exemplo, vai tentar fazer com que outros usem, só pra se sentir bem consigo mesma.

Isso é o que o frouxo e o malandro têm em comum. É o estágio inicial da formação dessa pseudo-personalidade. Em certo momento, tanto por questões de índole, de opinião, de força dessa personalidade e até pelos hormônios mais ou menos presentes no corpo do cara, eles acabam indo pra caminhos diferentes. No final, falarei sobre o homem bom com caráter forte.

Se temos dois parâmetros desse homem ("bom"; "caráter forte"), por meio de uma simples tabela lógica podemos identificar os outros.

Homem - Bom e caráter forte;
Malandro - Ruim e personalidade forte;
Frouxo - Neutro e caráter fraco (a bondade é neutralizada nesse caso);
Lacraia - Ruim e caráter fraco.

O Malandro - Índole Ruim / Personalidade forte

O Malandro tem índole ruim, mas tem poder de decisão. Ele consegue agir e fazer as coisas com ímpeto (muitas vezes confundido com coragem, coisa que não dá pra ter por causas más). Ele geralmente é seguido por Frouxos e Lacraias, e costuma entrar em conflitos com o Homem, ou, ao perceber que é mais fraco mentalmente, começa a simular grandes elogios a ele (questão de estratégia).

Ele geralmente consegue ter até certo "sucesso" sexual (me atendo aos seus objetivos). Na ausência de Homem bom com caráter forte, restam apenas os de caráter forte para os desejos femininos. Essa é uma das consequências malignas da existência desse tipo de meio infectado de Malandros: mulheres acabam tendo, inevitavelmente, grandes decepções amorosas. O motivo é óbvio. Malandros não pensam nem um pouco em simular um amor eterno, e até desejos de constituir família, pra, sem mais nem menos, sem nem dar sinal disso, cuspir o bagaço emocional (já que o emocional de uma mulher é completamente consumido em um relacionamento com o Malandro) dela e pisar em cima, rindo, de preferência. O chão de uma mulher vítima de um Malandro cai de forma abrupta.

A mulher nunca entra em um relacionamento com o Malandro sabendo disso. Ela acredita que ele também seja um Homem bom (carapaça que o Malandro sabe simular bem quando necessário). Mas mulher não só sente emoções. Elas vêem elas. Sentem até o cheiro delas, se bobear. Não sei o que é, já que não tenho a capacidade de enxergar isso em primeira pessoa, mas a percepção emocional delas é muito maior. Ela enxerga a coisa ruim ali, mas o problema é que ela não quer enxergar.

Ela só irá enxergar e aceitar que o Malandro é o que é, um ente maligno, quando perceber que aquilo não é uma queda. Ela estava caindo em um abismo desde o início do relacionamento. O que ela sentiu ali é o chão que chegou, o impacto, sem nem poder reagir, sem nem poder contemplar a queda.

As opções de uma mulher assim, estraçalhada, são algumas. Ela pode simplesmente entender o que aconteceu e seguir em frente. Ela pode entender o que aconteceu e não seguir em frente (tentando inclusive se culpar por isso. Vítimas de um grande mal tendem a diminuir a maldade que sofreram ou até inverter os pólos, admitindo uma culpa, pra não terem que enxergar o estupro mental que ocorreu ali).

Seja lá qual for o caminho que ela seguir, a cadeia de impactos nos arredores do ambiente infectado por esse tipo de gente é horrenda. Muitas mulheres acabam desacreditando do amor, tentando simular ser também uma escrava do desejo, e tentando simular em outros homens o mal que foi feito a ela, uma espécie de vingança poética (como o infectado por AIDS que decide passar a doença pro máximo de pessoas que puder). É estranho como entramos por querer em loucuras pra não termos que lidar com o Real.

A Lacraia - Índole ruim / Caráter fraco

Os valores da Lacraia não são diferentes dos do Malandro, mas ele não tem ímpeto. Ele não consegue fazer as ações diretas necessárias pra conseguir sozinho suprir os seus desejos, que cada vez mais se acumula. Mas se lembra? Ele não liga de usar pessoas, e é aí em que ele vai se especializar. Se o Malandro não precisa muito de uma lógica inerente às suas falas pra convencer as pessoas, já que consegue unir sua fala com uma emoção que cria uma espécie de atmosfera hipnotizadora, a Lacraia precisa se especializar nos meandros das mentes alheias. Já viu o segundo filme do Senhor dos Anéis, onde um cabeludinho usa magia negra pra deixar o Rei doente e conseguir controlar as suas decisões? Ali se trata de uma lacraia.

A Lacraia sabe dominar o líder de um grupo, agindo no "background" (até ser percebido e expulso). Ele tentará dominar Homens, mas logo será desmascarado, e passará a ir sempre em busca de Malandros. Os Malandros, como são muito mais suscetíveis a sua moral e aos seus desejos, são o alvo perfeito pra Lacraia. Ele é ótimo em sussurrar no seu ouvido algumas coisas, geralmente com violências psicológicas disfarçadas de bom-mocismo, e fazem você ir na onda. Eles vivem de sugar o seu Eu pra conseguir o que querem, conseguindo ser ainda piores que o Malandro. Eis que uma matilha começa a se formar, quase que por natureza. O Malandro tem o ímpeto de ir atrás de seus desejos, e a Lacraia consegue fazer a cabeça do Malandro em algumas situações (não em todas). Precisamos agora do Frouxo pra começarmos a entender como um grupo maligno de homens funciona.

O Frouxo - Índole neutralizada / Caráter fraco

Ninguém consegue ser totalmente ruim ou totalmente bom. É ontologicamente impossível. Acontece que o frouxo não tem a capacidade de decidir por ele mesmo. Ele não consegue ter aquelas certezas solitárias necessárias pro poder de decisão. Todos temos medos, mas o Frouxo sucumbe diante deles. Isso faz com que o Frouxo precise de alguém pra decidir por ele. Não que todos que sigam um líder sejam frouxos. Alguns são líderes, outros não, e às vezes pra ser um Homem só se conseguir reconhecer QUEM seguir. Após ler isso aqui, não tente simular um ímpeto de liderança caso você não o tenha. Você só vai quebrar a cara.

O Frouxo precisa que qualquer um decida por ele, já que mesmo com sua boa índole, nem sabe identificá-la, confundindo-a com desejos na maioria das vezes. O Malandro e a Lacraia sucumbiram à lavagem cerebral de todos os cantos, inclusive na música, que convence o homem de que bom é ser "vagabundo", "malandro", "pegar todas", "ter carro" porque "elas gostam desse jeito". Quem não percebeu que há um intuito de formar esse tipo de pessoas com essa lavagem cerebral é pateta, que tem medo de ter medo, de fingir que um grande mal não existe só pra não ver o estupro mental que estão sofrendo (já viu algum caso assim? Tem em alguns parágrafos acima).

O frouxo optou por sucumbir e não sucumbir ao mesmo tempo. Tem hora que ele acha que tem que ser malandro, tem hora que ele acha que tem que ser lacraia, tem hora que ele acha que tem que ser qualquer coisa, porque ele nem tá aí pra isso. Ele só tá seguindo em frente como alguém que levou uma granada de efeito moral e está com aquele zunido no ouvido, visão embaçada e tentando fugir do local. O Frouxo está tão desnorteado que nem sabe o que é Norte, que sequer exista um Norte ou algo do tipo. Ele vai seguindo o fluxo que lhe aparece. Seus desejos se resumem a ser bem visto pelo grupinho, e seja lá o que o grupinho bem vê, ele tentará ser e fazer.

A estrutura dos grupinhos

Temos então que as coisas se dão assim: A Lacraia sobe no ombrinho do Malandro e fica sussurrando coisas, enquanto o Malandro faz coisas, acatando ou não. Tanto o Malandro quanto a Lacraia atraem frouxos para segui-los, já que servem de mão-de-obra e como símbolo de influência. Os Malandros-líderes e a Lacraia trabalham juntos pra, quando percebem que os Frouxos estão percebendo algo ruim ali, convencê-los do contrário com todo tipo de adulações e argumentinhos disfarçados de pensamento filosófico solto.

Esses grupos, quando agem em certos locais, sempre causam coisas ruins ao redor. Pessoas que não acreditam mais no bem, ou no amor, que ficam histéricas, que simulam maldade ou se tornam más mesmo, os efeitos são devastadores, e tudo por desejo. O que pode impedir isso?

Homem - Boa índole / Caráter forte

O único tipo de pessoa que pode impedir que essas coisas aconteçam são Homens. O Homem é um inimigo natural do Malandro, e só seu costume de fazer coisas boas vai atrair o desafeto do Malandro, que, sabendo não poder bater de frente com um Homem, irá simular uma grande amizade enquanto o difama pro seu grupo (e chegando ao ponto de inclusive simular situações pra que outras pessoas o enfrentem, com a ajuda da Lacraia, é claro). Os Homens de boa índole também formam grupos, de pessoas boas ou de pessoas que ainda se tornarão boas.

Os frouxos que caso venham a ser aceitos em grupos bons logo se tornam bons também, logo "despertam". Homens que entram em contato com grupos de Malandros, e mesmo sem querer, angariam os Frouxos, já que temos uma tendência pelo bem. Malandros e Lacraias fogem do homem bom como o Diabo foge da cruz, já que não só veem alguém que vai derrotá-los ali, como também veem alguém que vai mostrar pra eles todos os desvios de caráter ocultos no próprio subconsciente.

Um ambiente sem Homens bons será consumido pelo mal, já que a única coisa que mantém o mal no buraco fedido em que ele merece estar é um bem ativo. É quando o bem dorme que o mal sai pra jantar.

Após esse texto, você pode escolher o que você quer ser. Aí é com você. Beijo!
Concorda? Não concorda? Tá rasgando o cu de raiva? Comente!

Comente com o Facebook: