Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

6 pontos que vão esclarecer muito a cabeça de um introvertido

Já falei por aqui, mas sempre que tenho a chance, falo: os termos "introvertido" e "extrovertido" são conceitos que fazem parte da Teoria dos Tipos Psicológicos, do Carl G. Jung. Cada "Tipo" é uma disposição geral que se observa em um indivíduo em específico. Por disposição, entende-se como uma consciência está preparada pra agir e reagir. Você pode ler mais sobre aqui.

Nessa publicação, a desenhista Liz Fosslien ilustra 6 características de um desses Tipos psicológicos: o introvertido. Veja:

1) Pra processar e reagir a estímulos, o caminho que a informação faz na consciência do introvertido é maior. Segundo o livro "The Introvert Advantage", da Marti Olsen Laney, Esse caminho passa pela memória de longo prazo e áreas associadas com planejamento. Ou seja: é mais complicado pro introvertido processar informações, reagir a estímulos e tomar decisões, já que ele cuidadosamente avalia seus pensamentos e sentimentos durante o processo.



2) Introvertidos não precisam de atividades físicas pra se sentirem felizes. A consciência do introvertido prefere atividades metafísicas e, como o nome diz, introspectivas. Enquanto o extrovertido precisa de um estímulo externo muitas vezes atmosférico pra conseguir se divertir, o introvertido se diverte muito lendo um livro, por exemplo. É por isso que o cérebro do introvertido precisa de menos dopamina.


3) Eles sempre estão com vários pensamentos na cabeça. Introvertidos precisam passar pela memória de longo prazo pra decidir sobre algo, como já vimos. O introvertido compara suas experiências novas com as velhas, diminuindo a velocidade do processo, mas fazendo com que sua média de decisões boas seja alta. Introvertidos costumam ter um diálogo constante com eles mesmos na cabeça.
4) O foco de atenção de pessoas introvertidas é no ambiente como um todo, enquanto o foco do extrovertido é numa pessoa em específico. Introvertidos visualizam todo o ambiente de uma vez, reagindo a tudo o que provoca um estímulo sensorial.

5) O extrovertido se sente bem ao apostar ou correr riscos. Já o introvertido, por sempre pensar com a memória de longo prazo, se sente bem ao planejar e seguir as etapas que concebeu em sua mente após suas longas discussões com ele mesmo. É por isso que o cérebro do introvertido (quase) não é alterado quimicamente com dopamina após uma aposta: ele odeia surpresas ou riscos.
6) De acordo com os estudos do psicólogo Hans Eysenck, os introvertidos precisam de menos estímulos pra sentirem algo. Isso quer dizer que o introvertido, em alguns ambientes ou após uma sequência deles, sentem uma fadiga de estímulos, por terem processado muita coisa.

Gostou? Curta o post, comente, compartilhe, dance o chá-chá-chá e vamos nessa

Comente com o Facebook: