Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Conheça 13 casos de heroísmo protagonizados por pessoas normais (que agora são heróis)

Essas pessoas seguiram o impulso da bondade e se arriscaram de formas extremas pelo bem do próximo. Conheça suas histórias, e que elas te inspirem ao belo. Veja:

13 casos de heroísmo protagonizados por pessoas normais

Temar Boggs e Chris Garcia 



Os adolescentes Temar Boggs e Chris Garcia estavam aproveitando um dia de verão em 2013 quando ouviram que a polícia estava procurando pela menina de 5 anos de idade Jocelyn Rojas, que desapareceu enquanto estava na frente de sua casa e possivelmente foi sequestrada. As autoridades e voluntários procuravam a menina há duas horas, sem sucesso. Eles, que viam televisão, subiram em suas bicicletas e partiram para ajudar nas buscas. Depois de 45 minutos, eles viram um carro com um motorista agindo de forma estranha. Quando se aproximaram, viram que a garota estava no banco do passageiro, e começaram a perseguir o carro. 15 minutos se passam até que o motorista entra em pânico por conta dos garotos, para o carro, coloca a garota pra fora e foge. Jocelyn corre em direção a eles, pedindo por sua mãe. Temar coloca a menina no cano da bicicleta e os dois a entregam pra primeira autoridade que acharam: um bombeiro.

Quando a história se espalhou, muitas pessoas fizeram uma vaquinha pra sustentar o estudo dos dois garotos, e o feito foi reconhecido pela Câmara dos Representantes dos EUA.

Harvey Randolph



Durante o Outono de 1997, Jill Fitzgerald, de 37 anos, saiu pra sua caminha matinal pela vizinhança na Flórida, EUA, quando foi atacada por um Pit Bull e três outros cachorros. Harvey Randolph, uma mulher de 54 anos, ouvir os gritos de Jill e saiu correndo em direção aos sons. Ao ver o ataque, Harvey intervém, e chama a atenção dos cães pra ela, que conseguiu arrastar Jill por 12 metros enquanto os 4 cachorros o atacavam até uma van. Agora tinha feridas graves nos tornozelos e cotovelos, mordidas no rosto, e perdia muito sangue. Quando os paramédicos chegaram, chamados pelos vizinhos que viram a cena, foram atacados também pelos cachorros, que depois correram pro mato. Jill ficou internada por 4 dias, e Harvey precisou de uma cirurgia no cotovelo. Os cães foram apreendidos, e o dono se desculpou. 

Lauren Prezioso



Em 2014, Lauren Prezioso, seu marido e seu filho estavam curtindo um dia de praia em New South Wales, Austrália, quando ouve uma mãe gritar por ajuda: seus dois filhos estavam se afogando. A família africana se mudou pra lá, e as crianças não sabiam nadar. Ao vê-las agonizando na água, Lauren esperou que alguém fizesse algo. Quando ninguém o fez, ela mesma pulou na água. Detalhe: ela estava no oitavo mês da gravidez. Após o súbito ato de coragem, alcança os garotos e segura um em cada braço. Mesmo sendo uma nadadora experiente e treinada pra ser salva-vidas, devido à gravidez ela começa a perder forças. Estava prestes a se afogar também quando outra pessoa igualmente corajosa pula na água também e ajuda os três. 23 dias depois do feito, ela deu à luz uma filha saudável, Mila.

Jeremy Wuitschick e Johnny Wood



Era uma dia normal para os estudantes dessa escola fundamental da pequena cidade de Milton, em Washington, EUA. Se dirigiam à escola no ônibus escolar naquele Abril de 2012, até que o motorista perde a consciência. Sofrendo de um aparente ataque cardíaco, e sem conseguir respirar, o motorista substituto Ryan Callis soltou o volante, fazendo com que o ônibus ficasse sem controle algum. Quase que imediatamente o estudante de 13 anos Jeremy Wuitschick corre pra frente do veículo, pega o volante, e leva-o pro acostamento, retirando as chaves da ignição. Johnny Wood, que estava na sétima série e recém tinha aprendido a fazer ressuscitação cardíaca em uma aula, correu pro motorista e começou os procedimentos enquanto outro estudante ligava pro serviço de emergência. Infelizmente, apesar dos esforços de Johnny, o motorista de 43 anos não sobreviveu ao incidente. Mas ainda bem que a rápida atitude de Jeremy, que se disse inspirado em um livro de super-herói que estava lendo, preveniu uma tragédia ainda maior. Parabéns aos dois.

Lewis Thomas



Enquanto ia de metrô pra sua casa na Filadélfia na véspera de Natal de 1996, Lewis Thomas, de 43 anos, viu duas pessoas roubando à mão armada um garoto de 15 anos. Eles pegaram o dinheiro do jovem, sua jaqueta e até suas botas, dando uma coronhada nele em seguida. Lewis não é o tipo de cara que vê uma injustiça em sua frente e fica quieto, como o covarde comum. Ninguém no metrô interveio naquilo, mas Lewis, desarmado, foi em direção aos dois, que gritaram pra ele se sentar. Lewis não iria obedecer, e acabaria levando um tiro na perna. Os assaltantes, nervosos e desesperados após o disparo, saíram depois o ocorrido, já que o vagão parou em seguida. Eles foram presos depois. Os passageiros do vagão, que ficaram inertes durante o assalto também nada fizeram pra ajudar Lewis, agora ferido: ele teve que andar até o hospital. As duas vítimas se recuperaram bem. O nosso herói ganhou uma medalha da prefeitura por ter agido em prol do próximo diante do perigo, enquanto os outros ao redor nada fizeram.

Keenia Williams



A mãe solteira de 22 anos Keenia Williams levava a sua filha pra escolha em uma manhã de 2011. Enquanto dirigia em um trecho que passava por uma estrada californiana, ela viu pelo retrovisor um caminhão desviar de dois carros, virar e pegar fogo. Ela imediatamente parou o veículo, foi em direção ao caos e arrastou o caminhoneiro Michael Finerty, de 52 anos, pela roupa. Ele conseguiu sair da cabine antes de perder a consciência. O combustível do caminhão, diesel, vazava enquanto o fogo se espalhava. Ela conseguiu levar o caminhoneiro até seu carro, onde ela o cobriu e jogou água em seu rosto. Os bombeiros depois disseram que não teriam visto Michael até controlarem o incêndio e que as ações de Keenia certamente salvaram a sua vida. A Polícia Rodoviária da Califórnia fez uma cerimônia em sua homenagem e foi a primeira ganhadora do Prêmio de Bom Samaritano de San Francisco. 

Incrivelmente, 3 anos depois Keenia se tornou herói novamente e de forma parecida: ela tirou uma mulher de um carro prestes a entrar em chamas após um acidente.

Darnell Barton



O motorista de ônibus Darnell Barton fazia sua rota matinal naquele Outono de 2013 com o veículo cheio de passageiros, a maioria deles estudantes do ensino médio. Ao passar por um viaduto, ele notou uma mulher se preparando pra pular dele. Enquanto todos passavam por ela, de carro ou até andando, sem nada fazer, o motorista parou pra intervir. Em um ato emocionante capturado pela câmera do ônibus, o ex-bombeiro voluntário perguntou a mulher se ela estava bem. Sem obter resposta, ele ligou pra policia, se aproximou dela e a envolveu com seus braços, perguntando se ela queria vir pro lado certo daquela proteção. Durante 20 minutos ele conversou com a moça de 20 e poucos anos, dizendo que ela conseguiria a ajuda que precisava. Depois, um policial e uma espécie de negociadora anti-suicídio se aproximam também. Eles tomaram conta da mulher até os bombeiros chegarem. Os passageiros de Darnell o ovacionaram quando retornou ao ônibus.

Robert Mohr e Rodney Lindley



Em Maio de 1998, o condutor de trem de carga Robert Mohr e o engenheiro Rodney Lindley estavam viajando pelos trilhos de Indiana, EUA, quando eles viram o que parecia ser um filhote de cachorro no caminho. Ao acionar o apito eles perceberam que era mais grave: uma criança estava nos trilhos. O bebê de 1 ano e 7 meses Emilly Marshall fugiu engatinhando do quintal que sua mãe cuidava e agora estava nos trilhos de trem que ficavam a 50 metros de sua casa com um trem de 6.200 toneladas indo a toda em direção a ela. "É um bebê!", grita Robert, e Rodney puxa os freios. Notaram então que os freios não iriam ter força pra parar o trem, que estava a 32km/h, a tempo. Eis que Robert sai da cabine e vai pra frente do trem, se equilibrando na grade dianteira com as mãos pra frente numa tentativa de pegar o bebê. Felizmente o bebê saiu engatinhando dos trilhos no último minuto, mas Emilly ainda estava muito próxima e seria atingida por algo certamente. Desesperado, pai de quatro filhos e veterano do Vietnã, Robert empurra com o pé o bebê, que rola aquele mini-barranquinho que geralmente fica nas laterais dos trilhos. Após livrar a criança do perigo, ele pula do trem e fica com ela até os médicos chegarem. Graças aos atos heroicos desses dois homens, Emilly apenas quebrou um dente e precisou de um curativo na testa.

Angela Pierce



Em 2010, o policial de Ohio Jonathan Seiter estava fazendo uma blitz de rotina quando parou Otto Coleman. Ao sentir o cheiro de álcool no hálito do motorista, o policial tirou Otto do carro pra fazer um teste de sobriedade. Porém, um imprevisto: o suspeito o ataca subitamente. Ele já tinha em seus antecedentes um ataque a um policial, e agora prendia Jonathan contra o porta-malas de seu carro. Tentando ter sua arma tirada do coldre e sem conseguir se mexer, o patrulheiro começa a gritar por ajuda. Eis que a atendente de caixa Angela Pierce passa de carro, indo pra uma festa de aniversário, e vê a situação de perigo imediato que o policial passava. Enquanto outros carros transitavam por ali, Angela parou, correu pra briga e começou a golpear Otto na cabeça. Outra patrulha chega e detém a mulher por alguns segundos até perceberem que ela era a heroína da história. Então eles tiraram as algemas e trocaram "high-fives".

Falando sobre o incidente no programa "Good Morning America", o policial disse acreditar que Angela é um anjo da guarda enviado pelos seus pais, já falecidos. Depois, ele teve a oportunidade de encontrá-la e agradecê-la, não só em seu nome, mas pela sua família também.

Jon Meis



Um estudante da Seattle Pacific University salvou muitas vidas em Julho de 2014. Um atirador e pretendente a assassino entrou no lugar e abriu fogo contra vários estudantes, matando um e ferindo outros dois. Enquanto Aaron Ybarra recarregava a arma, o estudante de engenharia de 22 anos de idade Jon Meis entrou em ação. Ele era um monitor voluntário da instituição, e ficava em uma mesa perto da entrada. Por conta de sua função, sempre carregava spray de pimenta pra caso as coisas apertassem e nessa situação viu uma chance de usá-lo. Após chegar sorrateiramente no atirador, ele lançou o spray em seu rosto. Aaron, desestabilizado, é então jogado no chão. Outros estudantes, vendo o momento oportuno, se unem e conseguem imobilizar totalmente o assassino desgraçado. A polícia chegou logo em seguida. Jon não foi ferido mas entrou em estado de choque, e acabou sendo levado ao hospital só como precaução. 

Rapidamente ele foi tido como herói nas redes sociais, mas tanto o estudante como sua família recusaram todas as tentativas de aproximação por parte da mídia. Ao invés disso, ele divulgou uma nota dando todos os créditos à sua fé cristã, agradecendo às pessoas pelo apoio mas lembrando da tragédia, que tirou a vida de uma pessoa. Ele pediu que qualquer doação fosse feita pra família das vítimas, e não pra ele. 9 dias depois ele se formou e foi intensamente ovacionado. A Universidade anunciou uma bolsa de estudos pra engenharia que levaria o seu nome.

Aitzaz Hasan



Aitzaz Hasan Bangash Shaheed era um estudante paquistanês do distrito de Hangu, na Província Khyber Pakhtunkhwa. Ele sacrificou sua vida pra impedir que um homem-bomba entrasse em sua escola. Sua ação capturou o coração de muitos paquistaneses, e ele começou a ser tratado como herói nacional. Ele ganhou a honraria mais alta que pode ser dada a um civil, o prêmio Sitara-e-Shujaat (estrela de bravura). Foi eleito a pessoa do ano de 2014 pela revista Herald.

Montaro Rosado



O estudante de 26 anos estava na tragédia da boate Kiss, em Santa Maria-RS. Ele foi um dos primeiros a escapar do local que era consumido pelas chamas. Ao ver que sua irmã estava segura na rua, ele começou a entrar no lugar cada vez mais perigoso, voltar com uma ou duas pessoas em seus braços, e repetir o processo. Ele tinha 1,95m e salvou 14 vidas. Eis que, infelizmente, ele entrou uma última vez, sem voltar.

Francisco Erasmo Rodrigues da Silva



No dia 4 de Setembro de 2015, um homem entra armado em uma igreja e pega uma mulher de refém. Quando está chegando pro lado de fora, um policial passa por eles e vê algo de suspeito nos dois. A autoridade resolve abordá-los, e é quando o maluco começa a atirar. Do lado de fora da igreja ele mantém a moça, que é balconista, como refém. As pessoas vão até o lugar e logo a praça está cheia de pessoas e policiais. Durante o impasse, o morador de rua Francisco Erasmo vai em direção ao doido diabólico e entra em um embate corporal. A mulher escapa, o bandido dá um tiro no mendigo e a polícia transforma o bandido em peneira. Infelizmente Francisco morre. No seu velório compareceram 11 familiares. A balconista não foi. Veja o vídeo do momento:


                                             


Comente com o Facebook: