Tecnologia do Blogger.

Por que mataram e substituíram a Irmã Lúcia, a mulher que sabia o Terceiro Segredo?


Antes veja: 

Esse documento também está em vídeo, mas com menos detalhes:

Esse documento trará provas de que algo horrendo aconteceu entre 1958 e 1960: a Irmã Lúcia, portadora do Terceiro Segredo de Fátima, foi morta e substituída pra que não revelasse o seu conteúdo. As implicações disso também são horrendas: como ficará provado, em 1960 a falsa-igreja do fim dos tempos, que finge ser a Igreja Católica, foi instaurada, e era exatamente sobre isso o Terceiro Segredo.

1) A entrevista ao Padre Fuentes em 1957


Em 1957, a Irmã Lúcia deu uma entrevista ao Padre Augustín Fuentes, postulador da causa de beatificação de Jacinta e Francisco, as outras duas crianças além da Irmã Lúcia que participaram dos eventos envolvendo as aparições de Nossa Senhora em Fátima, Portugal. Logo após essa entrevista, se tornou muito difícil vê-la, como veremos, e em algum momento entre 1958 e 1960 ela foi morta (seja enclausurada até a morte, seja violentamente, isso não sabemos) e substituída por uma impostora. O que foi dito nessa entrevista está diretamente ligado ao motivo de seu assassinato e substituição. Veja:

“Padre, a Santíssima Virgem disse-me que nos encontrávamos nos últimos tempos do mundo, mas ela deu-me a entender por três razões. A primeira razão é porque ela disse-me que o demônio está operando a batalha decisiva contra a Virgem Maria. E uma batalha decisiva é a batalha final, da qual sairemos vitoriosos ou vencidos. Por isso, daqui em diante, deveremos escolher de que lado ficamos, ou estamos com Deus, ou estamos com o demônio; não há meio termo.
“A segunda razão é que ela disse a mim e aos meus primos que Deus está oferecendo os últimos dois remédios para o mundo. Estes são o Santo Rosário e a devoção ao Coração Imaculado de Maria. Estes são os últimos dois remédios, o que significa que não haverá outros. 
“A terceira razão é porque sempre nos planos da Divina Providência, quando Deus castiga o mundo, Ele esgota antes todos os demais recursos; e quando vê que o mundo não faz caso de nenhum deles, então ― como dizemos no nosso modo imperfeito de falar ― Ele nos oferece com certa trepidação o último meio de salvação, a sua Santíssima Mãe. É com certa trepidação porque se desprezamos e rejeitamos este último meio, já não obteremos perdão algum do céu porque teremos cometido um pecado, que o Evangelho chama de pecado contra o Espírito Santo, que consiste em rejeitar abertamente, com todo conhecimento e vontade, a salvação que Ele nos oferece. Recordemos que Jesus Cristo é muito bom Filho e não permite que ofendamos e desprezemos a sua Santíssima Mãe, tendo como testemunho patente vários séculos da história da Igreja que, pelos castigos terríveis sobre aqueles que atacaram a honra da sua Santíssima Mãe, nos indica como o Nosso Senhor tem saído sempre em defesa da honra da sua Santíssima Mãe.
Nessa entrevista a Irmã Lúcia deixa bem claro que estamos no fim dos tempos (isso em 1957, há 60 anos) e que os últimos dois remédios para o mundo são o Santo Rosário e a devoção ao Imaculado Coração de Maria. Logo após, ela é morta e substituída.

2) Comparações faciais e evidências de que a irmã Lúcia impostora não era a irmã Lúcia



Nessas duas primeiras fotos temos a verdadeira Irmã Lúcia, com 38 anos, em 1945. Na próxima foto, temos o que deveria ser a Irmã Lúcia com 60 anos em em 1967:


Se você acredita que as duas são a mesma pessoa, ela não só se manteve jovem e sem rugas até os 60 anos de idade: seu queixo mudou, seu sorriso, seus dentes, seu nariz, seus olhos, suas sobrancelhas, tudo mudou. Veja as seguintes comparações:




Mas não só pelas evidências fotográficas que podemos confirmar a fraude. Vejamos mais evidências. Como a família da Irmã Lúcia, que a visitava, não percebeu a substituição?

Francis Alban, The Fatima Priest, página introdutória: “Em 11 de Outubro de 1990, Carolina, a irmã de sangue da Irmã Lúcia, disse ao Padre Gruner que ela tinha visitado a Irmã Lúcia no Carmelo de Coimbra por mais de 40 anos e nunca lhe tinha sido permitido falar sozinha com a sua irmã na mesma sala. Elas estavam sempre separadas por uma grade e muitas outras irmãs do convento estavam presentes em todas as visitas.” (Good Counsel Publications, Pound Ridge, NY, 1997)

Ou seja, a própria irmã de sangue da Irmã Lúcia, quando ia visitá-la, tinha que ficar atrás de uma grade, e com a companhia de muitas outras irmãs, não permitindo uma conversa particular. Seriam essas regras do convento Carmelita que a Irmã Lúcia fazia parte? Se sim, em 1967, quando a falsa-igreja precisou da falsa Irmã Lúcia, essas regras foram totalmente ignoradas, e ela foi apresentada com o anti-papa Paulo VI, fora do convento, sem grades, sem irmãs, sem conventos:


Ou então com o anti-Papa João Paulo II, também sem grades, sem a presença de muitas outras irmãs, e sem conventos:


Mais uma evidência: a Irmã Lúcia verdadeira viu e ouviu por seis vezes a Santíssima Virgem Maria, entrou em um convento Carmelita e com certeza sabia muito sobre o Catolicismo. A falsa irmã Lúcia, quando foi receber a comunhão do anti-Papa João Paulo II, mostrando que não sabia uma coisa básica como essa pra qualquer Católico, beijou a sua mão em um momento extremamente bizarro:


Na ocasião, em 2000, foi revelada uma falsa-versão do Terceiro Segredo de Fátima. Fica óbvio aqui que, entre 1958 e 1960, uma falsa Irmã Lúcia é colocada no lugar da verdadeira, mas qual foi exatamente o intuito disso? Pra entendermos, precisamos entender o que foram as aparições de Fátima.

3) As aparições, os segredos, e o milagre em Fátima


Três crianças receberam seis vezes a visita da Nossa Senhora, a Santíssima Virgem Maria, em Fátima, Portugal, no ano de 1917, há exatos 100 anos, e receberam três segredos. Lúcia pediu, na aparição do dia 13 de Julho, pra que Nossa Senhora mostrasse, de alguma forma, às pessoas, que as mensagens que receberam eram de fato dos céus, e a Santíssima disse que no dia 13 de Outubro mostraria que era ela mesma quem dava os segredos.

“Lúcia disse: ‘Queria pedir-lhe para nos dizer quem é; para fazer um milagre com que todos acreditem que é você quem nos aparece"
"Continuem a vir aqui todos os meses,’ respondeu a Senhora. ‘Em Outubro direi quem sou, o que quero e farei um milagre que todos irão ver para acreditarem"
(No livro: Our Lady Fátima, William Tomas Walsh, pág. 80)

3.1) O Milagre


Então imagine: três crianças de 7, 9 e 10 anos começam a dizer que Nossa Senhora apareceu-lhes, para que todos rezem o Santo Rosário, e que todos deveriam ir a tal lugar no dia 13 de Outubro pra presenciar um milagre. Obviamente a história se espalhou rapidamente em Portugal e em outros países. Causando um rebuliço, cerca de 100.000 pessoas compareceram ao lugar na data marcada, entre elas, descrentes, zombadores, ateus, etc, já que a coisa se tornou um grande evento, e muitos não acreditaram nos boatos, como sempre. Então o milagre aconteceu. No que consistiu esse milagre?


“O sol brilhava como se fosse um imenso disco de prata. Brilhava com tal intensidade como nunca se vira e no entanto as pessoas podiam olhá-lo diretamente sem problemas. Até era delicioso ficar assim, contemplando essa luz que não cegava. Isto durou apenas um instante. Enquanto todos olhavam assombrados, a imensa bola começou a “dançar” – é a palavra empregada pelos observadores. Como uma gigantesca roda de fogo, o Sol girava agora rapidamente. Parou depois de algum tempo. Novamente começou a rodar sobre si mesmo, vertiginosamente, numa velocidade incrível. Finalmente as bordas tornaram-se escarlates e deslizou no céu como um redemoinho infernal espargindo chamas vermelhas de fogo. Essa luz refletia-se na terra, nas árvores, nos arbustos, nas próprias faces voltadas para cima e nas vestes, tomando tonalidades brilhantes e diferentes cores: verde, vermelho, alaranjado, azul, violeta, as cores todas do espectro solar. Com três movimentos "loucos", o globo pareceu tremer, sacudir-se e precipitar-se em ziguezage, avançando sobre a multidão. 

Um grito de terror saiu dos lábios de centenas de pessoas apavoradas que se ajoelhavam na lama pensando ter chegado o fim do mundo. Algumas atestam que o ar se tornou mais quente nesse instante. Não se admirariam se vissem as coisas todas em volta consumir-se em chamas envolvendo-os e consumindo tudo.”

“Por toda parte, em Portugal, a imprensa anticlerical se viu obrigada, de fato, a dar testemunhos desse gênero. Em geral, estavam de acordo quanto ao essencial. Segundo escreveu o Dr. Domingos Pinto Coelho em A Ordem,‘O sol, umas vezes rodeado de chamas escarlates, outras vezes aureolado de amarelo e roxo esbatido, outras vezes ainda parecendo animado de velocíssimo movimento de rotação, outras vezes também aparentando destacar-se do céu, aproximar-se da terra…’”

Claro que a notícia saiu em todos os jornais. Atento para os jornais "A Ordem" e "O Século", anti-Católicos, que foram obrigados a noticiar "como o Sol bailou em Fátima":



3.2) Os dois primeiros segredos e a Consagração da Rússia ao Imaculado Coração da Santíssima Virgem Maria


Nossa Senhora mostrou às crianças o inferno:
“Ao dizer estas últimas palavras, abriu de novo as mãos, como nos dois meses passados. O reflexo de luz que delas emanavam pareceu penetrar a terra e [Nossa Senhora] mostrou-nos um grande mar de fogo que parecia estar debaixo da terra. Mergulhados nesse fogo os demônios e as almas, como se fossem brasas transparentes e negras, ou bronzeadas com forma humana, que flutuavam no incêndio levadas pelas chamas que delas mesmas saíam, juntamente com nuvens de fumo, caindo para todos os lados, semelhante ao cair das brasas dos grandes incêndios sem peso nem equilíbrio, entre gritos e gemidos de dor e desespero que horrorizava e fazia estremecer de pavor. Os demônios distinguiam-se por formas horríveis e asquerosas de animais espantosos e desconhecidos, mas transparentes e negros. Esta visão foi um momento graças à nossa boa Mãe do Céu; que antes nos tinha prevenido com a promessa de nos levar para o Céu (na primeira aparição). Se assim não fosse, creio que teríamos morrido de susto e pavor.”
Relato no livro de William Thomas Walsh, Our Lady Fatima

Então Nossa Senhora disse: “Vistes o inferno, para onde vão as almas dos pobres pecadores. Para as salvar, Deus quer estabelecer no mundo a devoção a meu Imaculado Coração”


A Santíssima continua:

"Se fizerem o que eu disser muitas almas me salvarão e terão paz. A guerra vai acabar, mas se não deixarem de ofender a Deus, no reinado de Pio XI começará outra pior. Quando virdes uma noite iluminada por uma luz desconhecida, sabei que é o grande sinal que Deus vos dá de que vai punir o mundo por seus crimes, por meio da guerra, da fome e de perseguições à Igreja e ao Santo Padre. Para a impedir virei pedir a consagração da Rússia a meu Imaculado Coração e a comunhão reparadora nos primeiros sábados. Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz, se não, espalhará seus erros pelo mundo, promovendo guerras e perseguições à Igreja, os bons serão martirizados, o Santo Padre terá muito que sofrer, várias nações serão aniquiladas, por fim o meu Imaculado Coração triunfará. O Santo Padre consagrar-me-á a Rússia, que se converterá, e será concedido ao mundo algum tempo de paz".
Em diversos núcleos de falso-tradicionalismo, como na FSSPX, rezam-se Santos Rosário pedindo a tal Consagração da Rússia, para enganar muitos Católicos, injetando um vírus que faz com que aceitem os últimos seis anti-papas. Eles mentem (bispos e padres não desconheceriam uma importante carta apostólica de um Papa) pois tal consagração já foi feita na carta apostólica Sacro Vergente Anno, em 1952.


Mas então por que a Rússia não se converteu ao Catolicismo? Veja que o que Nossa Senhora diz está na mesma estrutura de um versículo do livro dos Provérbios:

Provérbios, 16:7 - “Quando os caminhos do homem agradarem ao Senhor, até converterá à paz os seus inimigos.” 

Nossa Senhora: “Se atenderem a meus pedidos, a Rússia se converterá e terão paz.”

A conversão se trata de paz, não de fé. O que acontece após a consagração da Rússia feita na Carta Apostólica Sacro Vergente Anno em 1952 é uma baita diminuição na imensa máquina de morte Comunista, os erros da Rússia. Entre a vitória dos Bolcheviques, que acontece UM MÊS após o milagre do Sol em Fátima, até 1952, o monstro comunista dominou um terço do mundo e perseguiu intensamente e cruelmente os Católicos que se encontravam em seus territórios.

E quanto à estranha luz no céu que anuncia uma guerra vindoura? Nos dias 25 e 26 de janeiro uma Aurora Boreal pode ser vista desde o Canadá até a Checoslováquia, passando por Paris, Inglaterra, Suíça, Portugal e muitos outros lugares que nunca tiveram Auroras Boreais. Pouco depois, a Segunda Guerra Mundial começa.

3.3) O terceiro segredo


No ano 2000 a falsa-igreja divulgou uma versão, óbvio, falsa, do Terceiro Segredo de Fátima. Eles disseram que o segredo era na verdade uma visão que deveria ser interpretada simbolicamente. Tal visão era um Papa sendo morto por flechadas. A interpretação da falsa-igreja? Interpretaram eles que o terceiro segredo se referia ao tiro que João Paulo II levou. Pense por um instante: a Santíssima Virgem Maria apareceria seis vezes pra três crianças, faria um milagre diante de 100.000 pessoas, tudo isso pra avisar que "Um Papa vai levar um tiro mas vai ficar tudo bem"? Isso é ridículo. Começa a ficar mais claro o motivo da Irmã Lúcia ter sido substituída por uma impostora.

Pra juntarmos as peças e descobrirmos o que o Terceiro Segredo revelava, precisamos entender primeiro que Nossa Senhora pediu que o segredo fosse revelado "Em 1960 ou após a morte da Irmã Lúcia, o que viesse primeiro". Veja vários testemunhos, de várias pessoas que concordam ou discordam do Concílio Vaticano II, de várias vertentes e posições, dando validade história ao que digo: o terceiro segredo deveria ter sido revelado em 1960 a pedido de Nossa Senhora:

Cónego Galamba: “Quando o bispo recusou-se a abrir a carta, Lúcia fê-lo prometer que seria aberta definitivamente e lida ao mundo após a sua morte ou em 1960, o que ocorresse primeiro” (A Verdade sobre o Segredo de Fátima, Pe. Joaquim Alonso, pp. 46-47).

▫ John Haffert: “Na casa do bispo (em Leiria), à mesa, sentei-me à sua direita, com os quatro cónegos. Durante essa primeira cena, o cónego José Galamba de Oliveira dirigiu-se a mim quando o bispo saiu do quarto por um momento e me perguntou: ‘Por que não dizes ao bispo para abrir o Segredo?’ Cuidando de não mostrar minha ignorância acerca de Fátima ― que naquela época era quase completa ― simplesmente olhei para ele sem expressão. Ele continuou: ‘O bispo pode abrir o Segredo. Ele não necessita esperar até 1960’ (Dear Bishop!, John Haffer, AMI 1981, pp. 3-4).

▫ O cardeal Cerejeira: Em Fevereiro de 1960, o patriarca de Lisboa relatou as instruções que o bispo de Leiria “lhe havia dado” sobre o assunto do Terceiro Segredo: “O bispo da Silva fechou (o envelope lacrado por Lúcia) dentro de outro envelope sobre o qual indicava que a carta teria de ser aberta em 1960 pelo mesmo bispo José Correia da Silva, caso ele ainda estivesse vivo, e em caso contrário, pelo patriarca cardeal de Lisboa” (Novidades, 24 de Fevereiro de 1960, citado por La Documentation catholique, 19 de Junho de 1960, col. 751).

▫ O cónego Barthas: Durante a sua conversa com a Irmã Lúcia entre 17 e 18 de Outubro de 1946, ele teve a oportunidade de perguntar-lhe sobre o Terceiro Segredo. Ele escreve: “Quando nos será revelada a terceira parte do segredo?” Já em 1946, responderam-me de maneira uniforme ― Lúcia e o bispo de Leiria ― a esta pergunta, sem duvidar e sem comentário: “Em 1960.” E quando levei a minha audácia tão longe ao ponto de perguntar sobre o porquê de ser necessário esperar até lá, a única resposta que recebi de ambos foi: “Porque a Santíssima Virgem deseja que assim o seja.” (Barthas, Fátima, merveille du XXe siecle, pág. 83, Fatima-editions, 1952).

▫ Os Armstrongs: Em 14 de Maio de 1953, Lúcia recebeu uma visita dos Armstrongs, que puderam fazer-lhe perguntas sobre o Terceiro Segredo. No seu relato, publicado em 1955, eles confirmaram que o Terceiro Segredo “teria de ser aberto e divulgado em 1960” (A. O. Armstrong, Fátima, peregrinação à paz, Ed. inglesa, The World’s Work, Kingswood, Surrey, 1955).

▫ Cardeal Ottaviani: Em 17 de Maio de 1955, o cardeal Ottaviani, pró-prefeito do Santo Ofício, visitou as carmelitas de Santa Teresa em Coimbra. Ele interrogou a Irmã Lúcia sobre o Terceiro Segredo; e em sua conferência de 1967 recordou: “A mensagem não deveria ser aberta antes de 1960. Eu perguntei à Irmã Lúcia, ‘Por que esta data?’ Ela respondeu, ‘Porque será mais claro nessa altura’” (La Documentation catholique, 19 de Março de 1967, col. 542).

▫ Padre Joaquim Alonso, arquivista oficial de Fátima: “Outros bispos também falaram ― e com autoridade ― sobre o ano 1960 como sendo a data indicada para abrir a famosa carta. Assim que, quando então o bispo titular de Tiava e bispo auxiliar de Lisboa perguntou a Lúcia quando deveria ser aberto o Segredo, foi-lhe dada sempre a mesma resposta: em 1960” (A Verdade sobre o Segredo de Fátima, Pe. Joaquim Alonso, pág. 46).

▫ Padre Joaquim Alonso: “Quando Dom José, o primeiro bispo de Leiria, e a Irmã Lúcia acordaram que a carta deveria ser aberta em 1960, eles quiseram obviamente dizer que o seu conteúdo deveria ser tornado público para o bem da Igreja e do mundo” (ibid., pág. 54).

▫ Bispo Venâncio: “Eu penso que a carta não será aberta antes de 1960. A Irmã Lúcia pediu que não fosse aberta antes da sua morte, ou antes de 1960. Estamos já em 1959 e a Irmã Lúcia goza de boa saúde” (A Verdade sobre o Segredo de Fátima, Pe. Joaquim Alonso, pág. 46).

▫ Padre Fuentes: Em 26 de Dezembro de 1957, o Padre Fuentes entrevistou a Irmã Lúcia, que lhe disse: “Padre, a Santíssima Virgem está muito triste, porque ninguém faz caso da sua Mensagem, nem os bons nem os maus. Os bons continuam os seus caminhos, mas sem dar importância alguma à sua Mensagem… Não posso detalhar mais, uma vez que é ainda um segredo.  Por vontade da Santíssima Virgem, só pode ser conhecido pelo Santo Padre e pelo Senhor Bispo de Fátima – mas nem um nem outro o quiseram ler, para não se deixarem influenciar.  Esta é a parte da mensagem [do Terceiro Segredo] da Nossa Senhora que irá permanecer em segredo até 1960.” (A Verdade sobre o Segredo de Fátima, Pe. Joaquim Alonso, pp. 103-104).

▫ F. Stein: “Os testemunhos que têm anunciado a revelação do Segredo para 1960 são de peso tal e tão numerosos que, em nossa opinião, mesmo que as autoridades eclesiásticas de Fátima [em 1959, os próprios estudiosos do assunto estavam ainda na ignorância de que Roma havia pedido ao bispo de Leiria que lhes enviasse o segredo] não se resolvam a publicar o segredo em 1960, eles ver-se-ão forçados a fazê-lo pelas circunstâncias.” (Mensagem de Fátima, Julho-Agosto, 1959).

▫ Padre Dias Coelho: “… nós podemos servirmo-nos, como um facto inquestionável, desta afirmação do Dr. Galamba de Oliveira (em 1953) em Fátima, Altar do Mundo: ‘A terceira parte do Segredo foi lacrada nas mãos de Sua Excelência o bispo de Leiria, e será aberta, ou depois da morte da vidente, ou no mais tardar em 1960.’” (L'Homme Nouveau, No. 269, 22 de Novembro, 1959)

Temos mais uma pista ao analisarmos a declaração da verdadeira Irmã Lúcia ao ser entrevistada pelo Cardeal Ottaviani. "Por que em 1960?", e ela responde, "porque será mais claro nessa altura".

Então chega 1960 e o anti-Papa João XXIII resolve não revelá-lo. A Igreja Católica desobedeceria a Santíssima Virgem Maria? É claro que não. E quais são os eventos que ocorrem em 1960 que, segundo a Irmã Lúcia, deixaria claro o Terceiro Segredo?

No dia 25 de Janeiro de 1959 (o mesmo 25 de Janeiro da aurora boreal estranha que foi um prenúncio pra Segunda Guerra que viria no ano seguinte), o anti-Papa João XXIII anuncia uma "inspiração especial" para um "concílio ecumênico".  Tudo o que temos em 1960 de revelante no mundo Católico são reuniões preparatórias pro Concílio Vaticano II.

Claro que alguns tiveram acesso ao segredo, ou partes dele, ou dicas sobre seu conteúdo. O Padre Mario Luigi Ciappi, teólogo Papal do Papa Pio XII, disse:

"No Terceiro Segredo de Fátima prediz-se, entre outras coisas, que a Grande Apostasia da Igreja começará de cima" (Ciappi ao Professor Baumgartner em Salzburgo, citado no livro The Devil's Final Battle compilado por Paul Kramer,  Good Council's Publication, 2002; também citado pelo Pe. Gerardo Mura, “The Third Secret of Fatima: Has It Been Completely Revealed?", napublicação Catholic (editada pelos Redentoristas Transalpinos, Islas Orcadas, Escócia, Grã Bretanha), Março de 2002) 

Temos mais uma confirmação de um dos falsos-cardeais do Concílio Vaticano II:

"Cardeal" Silvio Oddi: "O terceiro segredo não se trata de uma conversão da Rússia, mas de uma revolução na Igreja" 

O que foi o tal Concílio Vaticano II, que ocupou todo o calendário de 1960 da, agora, falsa-igreja, ano em que o Terceiro Segredo "ficaria mais claro", segundo as palavras da própria Irmã Lúcia? Foi simplesmente a negação de todos os dogmas da Igreja Católica, instaurando oficialmente a falsa-igreja do fim dos tempos que seria revelada pelo Terceiro Segredo, obviamente não revelado e distorcido 40 anos depois pela falsa-igreja.

Irmã Lúcia foi substituída por uma impostora porque revelaria o que já foi predito no Novo Testamento: ROMA PERDEU A FÉ E SE TORNOU O TRONO DO ANTI-CRISTO. POR ISSO A IRMÃ LÚCIA DISSE AO PADRE FUENTES QUE ESTAMOS NO FIM DOS TEMPOS.

Reze o Santo Rosário todo dia, como disse Nossa Senhora em Fátima, sem o quarto mistério instituído pelo anti-papa João Paulo II. Aqui a maneira correta de rezá-lo.

Agradecemos novamente ao Monastério da Mais Sagrada Família pela pesquisa que permitiu esse documento.

Próximo artigo: as heresias do Concílio Vaticano II e dos seis últimos anti-papas