Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Experimento suíço descobre que o queijo fica mais saboroso se ouvir Rap


Já pensou sobre as disposições corporais provocadas por certas frequências sonoras. Afinal, só existem melodias "tristes" porque elas provocam uma disposição corporal em nós semelhante à que é provocada quando ficamos tristes, e não porque elas em si mesmas consideradas sejam tristes, como se a vibração das ondas sonoras pudessem ter moléculas de tristeza. Mas isso vai mais longe, como as formas geométricas obtidas com a vibração do som numa placa de metal (o vídeo estará no final da matéria), e daí poderíamos tentar até explicar aquele famoso experimento, duvidado por muitos, dos dois potes de arroz, um que recebe elogios e o outro xingamentos, e o arroz xingado apodrece.


Mas não caiamos no engano materialista em uma inversão de causa e efeito: não ficamos tristes por um acaso geométrico-sonoro, mas cada espécie de disposição sonora está ligada ao seu sujeito metafísico correspondente. Palavras boas, como amor, estão conectadas a boas ondas sonoras, enquanto palavras ruins, como qualquer uma que você possa mas não deva pensar, estão conectadas a ondas sonoras ruins. 

Um estudo interessante pode nos aprofundar nisso: um grupo de cientistas suíços colocou 9 rodelas de queijo Muttenglück em diferentes caixas amigáveis ao som, ou seja, que ressoam suas ondas transferindo-as ao que está em seu interior. Uma foi deixada ao som ambiente, pra referência. Em cada uma das outras, uma música ou uma frequência diferentes. Foram estas:

1. Caixa sem som (referência)
2. Yello – ‘Monolith’
3. W.A. Mozart – ‘The Magic Flute’
4. Vril – ‘UV’
5. Led Zeppelin – ‘Stairway to Heaven’
6. Frequência média: 200 Hz
7. Frequência alta: 1000 Hz
8. Rap: A tribe called quest – ‘We Got (the Jazz)’
9. Frequência baixa: 25 Hz

Depois de oito meses "ouvindo" essas músicas, os queijos muito pacientes passaram por um teste cego, ou seja, várias pessoas provaram os 9 queijos, sem saber qual era qual, e diziam qual tinha o melhor gosto. O queijo que de longe mais se destacou foi o número 8, que ficou ouvindo rap. Uma análise do queijo mostrou que ele ficou "com traços marcantes de fruta, tanto no gosto como no cheiro, notavelmente diferente dos outros queijos".


FONTE: Swiss Info