Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

EU VS EU: As situações onde você luta consigo mesmo

Toda potência (ou seja, poder algo) se relaciona a um ato. Existem potências que só tendem a um termo, e os seus termos são seus atos. A potência do calor, quando em ato, só pode gerar calor. Outras potências tendem a mais de um termo. Os homens estão cheios dessas potências que podem tender a mais de um termo. Quanto às coisas que nos ameaçam a vida, por exemplo, cujas reações residem no apetite irascível, podemos fugir ou enfrentar o perigo, e esses dois atos não podem existir ao mesmo tempo.

Conforme agimos de certo modo, pelo costume de assim agir adquirimos o hábito, que são meio-termos entre as potências e os atos, quando tais potências tendem a mais de um termo. O hábito faz certa potência tender mais a um ato que ao(s) outro(s). Hábitos que nos fazem tender a um ato bom, como o ato da parcimônia, são chamados de virtudes. Já os que nos fazem tender a um ato ruim, como a gula, são chamados vícios.

Todo ato contrário a um hábito que temos são difíceis e desagradáveis a nós. Todo ato que corresponde a um hábito que temos nos é fácil e deleitável. Um só ato contrário a um hábito que temos não o destrói, embora muitos desses atos o substitua. Um só ato que corresponde a um hábito em nós o fortalece. Quer adquirir um novo hábito? Aja. Como ensina Santo Agostinho, é pelos atos que adquirimos os hábitos. E, embora agir contra um hábito seja naturalmente difícil, é o único meio pelo qual podemos destruir um vício para adquirir a virtude.

Mas acima disso, sem a graça de Deus nada podemos, pois é Ele quem opera o agir e o querer em nós.

Nessas tirinhas do Honey Dill, as situações onde entramos em conflito com nós mesmos são retratadas, veja: