Tecnologia do Blogger.

Homem come só comida vencida por um ano pra provar que prazos de validade são uma fraude


Um homem chamado Scott Nash tem uma teoria: prazos de validade são uma fraude. Ele concebeu a ideia quando, há três anos, bebeu um iogurte há seis meses vencido e não teve problema algum. O homem é dono de um mercado orgânico, e esqueceu o iogurte por um longo tempo em uma geladeira na sua casa em Virgínia, EUA. 



 

Ele, olhando para um lado e para o outro, resolveu tomar o iogurte, que não estava com um gosto estranho e ele não teve nenhum problema de saúde devido ao consumo. Então ele começou a pensar de onde os prazos de validade são tirados.

"Essas datas são muito vagas. Não têm consistência e criam confusão". Diz ele que o sistema de prazos de validade precisa ser revisado. Essas datas precisam se alinhas com a realidade, segundo Scott. E alguns produtos nem precisam de data de validade, como o sal.

Por isso, durante um ano ele e sua família só se alimentaram com produtos supostamente fora da validade. Iogurtes vencidos há 8 meses, tortilhas vencidas há 1 ano, sorvetes vencidos há meses, e por aí vai. Segundo ele, ninguém passou mal.

Diz ele que nós mesmos podemos ver se um produto estragou ou não, pelo cheiro e pela aparência. "Muita comida é descartada por conta dessas datas arbitrárias", alega. Ele também aponta pra uma "obsolescência programada", ou seja, que tais datas visam obrigar o mercado dos alimentos a girar, já que, se as verdadeiras datas fossem observadas, os alimentos ficariam muito mais tempo nas prateleiras e o dinheiro gerado pela indústria seria reduzido. "Quando jogamos comida boa fora, a indústria lucra", diz ele.

Seja como for, o Ovelhas Voadoras não se responsabiliza se você comer comida fora da validade e morrer.

Fonte: Washington Post