Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

1 milhão de formigas canibais presas há anos acabaram de escapar de um abrigo nuclear


Cientistas da Polônia emitiram um terrível alerta: por algum motivo, uma colônia com um milhão de formigas estava presa há anos em um abrigo nuclear. Elas ficaram no escuro, e se alimentavam umas das outras, as mais fortes dilacerando as mais fracas. Bom, elas escaparam.






A mega-colônia, que foi descoberta em 2013, não tinha outra fonte de alimento, a não ser a própria colônia. Os cientistas também descobriram que todas as formigas são machos, formigas-soldado que não podem se reproduzir. Como elas alcançaram esse número é um mistério.

Então chega a hora em que a curiosidade mata um gato, provavelmente comido por formigas: um grupo de cientistas poloneses resolveu fazer um experimento e fizeram uma "rota de fuga" no bunker. Queriam ver se os membros da colônia deixariam a sua "pátria" se tivessem a opção. Esse estudo foi publicado no Jornal de Pesquisa dos Hymenopteras

A equipe de cientistas, liderada pelo Wojciech Czechowski, do Museu e Instituto de Zoologia e da Academia Polonesa de Ciências, estavam estudando morcegos que viviam no bunker, e acabaram descobrindo as formigas em um depósito de munição onde um dia já houveram armas radioativas, segundo relatos. Aparentemente elas caíram lá por um cano de ventilação, que era aberto antes, e depois foi fechado. Então, não conseguiram mais sair (até o momento).


Dois anos depois da descoberta da colônia, os cientistas voltaram lá e descobriram que o número de formigas tinha aumentado, mesmo sem elas poderem se reproduzir. Eles não sabem responder a isso. Além do mais, lá não tinha calor, nem luz, nem comida (a não ser a própria colônia).

Está vendo essa massa preta no chão? Dica: ela se mexe

A equipe de cientistas escreveu: "a massa de Formica Polyctena presa no bunker não tinha escolha. Eles tinham que sobreviver e continuaram suas funções em modo extremo dadas as circunstâncias". Em 2016, a colônia ainda estava lá, e aumentando em número (como?????). Decidiram então analisar o seu comportamento, colocando uma rota de fuga no lugar, um cano que daria em uma saída. Um ano depois, voltaram ao lugar, e praticamente todas as formigas desapareceram.

Talvez tenha sido uma das piores ideias da história de um cientista. Eles analisaram os cadáveres que ficaram pra trás, e todos estavam com marcas de mordida, e faltando partes do corpo.


Antes de prosseguir, quero que veja uma colônia normal dessa espécie de formigas, a Formica Polyctena. Imagine uma colônia dessas que passou anos com os mais fortes comendo os mais fracos, no escuro, sem calor, e sem poderem se reproduzir (e mesmo assim aumentando de número). Bom, essa colônia fugiu. Pobres poloneses. 



Fonte: Newsweek