Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Com alta procura, kg do rato vai pra R$98 no comércio ilegal da China e são vendidos no chão

Na foto à direita, pássaros sem penas, que são vendidos juntos com outros animais

O governo chinês proibiu a venda de certos animais como ratos, morcegos e cobras devido à hipótese de que o surto de Coronavírus tenha começado por conta desses animais infectados que foram ingeridos. A hipótese veio de uma afirmação de cientistas do Centro Chinês de Controle de Doenças. Depois, eles disseram que conduziram testes e confirmaram que o surto começou no Mercado Huanan, onde diversos animais que nunca comeríamos são vendidos.




Por causa disso, esses bichos estranhos foram proibidos de serem vendidos em tais mercados. Porém, hoje um jornalista do Southern Metropolis Daily foi à paisana verificar como estava o comércio ilegal desses bichos, que obviamente estava acontecendo em alguma viela. O jornalista conseguiu encontrar ratos vendidos no chão e cobras (que são hospedeiras do Coronavírus) enjauladas.

 Segundo as autoridades chinesas, tudo começou aqui

O quilo da cobra, devido à alta demanda e ao comércio ilegal, foi pra 300 yuan (aproximadamente 183 reais) e o quilo do rato foi pra 160 yuan (aproximadamente 98 reais). O jornalista gravou tudo com uma câmera escondida e foi censurado na China, mas mandou as gravações pra grandes veículos da imprensa ocidental.


Na província de Hubei, onde 54 milhões de pessoas foram trancadas por causa da rapidez com que a doença está se espalhando, mercados ilegais e subterrâneos estão vendendo essas "iguarias" por altos preços, e sim, tais mercados estão lotados. Eles fizeram até uma tabela de preços que é constantemente atualizada conforme a demanda, com fotinhas fofas dos animais:


Se você já acha um horror os ratos sendo vendidos assim no chão, saiba que no mercado que está sendo culpado por ser o início disso tudo os ratos eram vendidos vivos e então, quando comprados, eram mortos na frente do comprador pra ele ir fresquinho. É mole?

Fonte: Daily Mail