Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Pessoas de quarentena morrendo de tédio tentam cortar os próprios cabelos e falham miseravelmente


Uma das coisas que essa experiência social nos revelou é o quanto as pessoas estão suscetíveis à loucura após poucos dias de isolamento. São muitos os relatos de gente indo cada vez mais em direção a um dadaísmo comportamental e recreativo após menos de uma semana presas em casa. E se num primeiro momento pode parecer risível, aponta pra terríveis hábitos que até então estavam ocultos em meio ao cotidiano moderno. Por que é tão terrível assim pra alguém ficar com os próprios pensamentos?




Algumas pessoas, que estavam planejando ir pro cabeleireiro antes da quarentena, voltaram a pensar sobre os seus cortes no meio do tédio, e pensaram: "quer saber? Eu consigo sozinho".

Uma delas foi Lara, de 22 anos. Ela tentou fazer uma franja em si mesma, e o resultado foi esse:


Não deu muito certo, e ela acabou ficando parecida com o menino da Panco. Porém, é melhor não continuar, ou o estrago pode ser maior. Outro que tentou a façanha do auto-cabeleireirismo foi Matt, de 22 anos:


Ele tentou fazer um degradê que acabou ficando na diagonal.  Talvez represente o que ele espere pra bolsa de valores, sei lá. Josh, de 20 anos, eliminou totalmente esse risco, acabando com qualquer degradê:


Porém, Josh já está acostumado com isso, porque certa vez, quando tinha longos cabelos, foi doá-los mas não quis gastar com um profissional. Acabou ficando assim:

Harry, de 23 anos, acabou fazendo algo parecido na solidão de sua casa:


Dá uma voltinha, Harry!


Tommy, de 22 anos, fez algo parecido mas com uma ponta em "V", sobressalente, em um ato de ousadia artística:


Mas isso foi depois dele fazer uma versão mais quadrada do corte final:


Tommy, de 22 anos, tentou fazer algo menos ousado, mas mesmo assim ficou zoado:


Este é o poder do tédio: a auto-destruição. Daqui a pouco estarão pensando: "hmmmm, como eu iria ficar sem um braço?", e o serrote lhes parecerá irresistível.