Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Homem com "DEVAST8" tatuado na cara faz vídeo reclamando de preconceito na hora de ser contratado


Mark Cropp, de 19 anos, engravidou a namorada e então aceitou a ideia de ter uma família com ela. Porém, sem emprego, ele precisava arcar com os custos de uma gravidez, dentre exames, e cuidados, e outras coisas. 




Então Mark teve uma ideia que em sua cabeça parecia genial. Disse a um turista que estava vendendo maconha. O turista lhe entregou o dinheiro. E então ele disse que não tinha maconha nenhuma. O turista ficou brabo e Mark tirou uma faca do bolso. Isso foi quando ele tinha 17 anos. 

Acabou preso e ficou um ano e pouco na prisão. Enquanto estava lá, sua namorada deu à luz e o entregou aos cuidados do estado (o "state care" da Nova Zelândia, um programa que deixa crianças abandonadas ou negligenciadas com responsáveis temporários. Pra entender melhor isso, tem um site do governo da Nova Zelândia explicando).

Ele, atordoado com os acontecimentos de sua vida, bebeu um goró artesanal em sua cela e completamente bêbado pediu pra uma tatuagem ser feita em seu rosto. Então Mark pagou por seu crime e foi solto. Seu plano então era cuidar de sua namorada e recuperar o seu filho.


Porém, um problema: ninguém queria lhe dar o emprego. o motivo? DEVAST 8 tatuado em seu rosto. Mark estava preso com seu irmão, que participou da empreitada da maconha não existente. Eles estavam com medo de algum grupo de prisioneiros não ir com a cara deles e então os matarem durante a noite, ou algo horrível quando o sabonete caísse no chão.

Bêbados, tiveram mais uma ideia genial: O irmão de Mark tatuaria no rosto dele o seu "nome das ruas", o apelido pelo qual era conhecido nos "rolês". O plano era que fosse pequeno, porém os dois estavam completamente bêbados.



Ninguém mexeu com os irmãos por lá, afinal, era um lugar de segurança mínima, com presos que não ofereciam grande risco. Mas na hora da paranoia misturada com cachaça, não tem razão.

Louco pra conseguir um emprego e poder sustentar sua família, ele gravou um vídeo contando toda essa história e o publicou no grupo do Facebook sobre assuntos da cidade dele (algo como as "Feiras do Rolo" daqui), Auckland.

Não demorou muito pra história viralizar, afinal, é fácil se compadecer pelas besteiras cometidas por ele. Então Jediz Arena, dono de uma empresa de andaimes, ofereceu um emprego pro homem, e era pra ele começar no outro dia. Outras duas propostas foram feitas, mas Mark acertou com o Jediz mesmo.

Seu novo chefe disse que todos merecemos uma segunda chance. Agora Mark, se continuar no emprego por um tempo, poderá provar ao estado que pode sustentar sua filha. Porém, aqui está uma coisa estranha: já ofereceram pra ele duas vezes um tratamento gratuito que removeria a tatuagem de seu rosto. Porém, ele recusou, dizendo que a "tatuagem faz parte de quem ele é".