Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Menino de 12 anos constrói aparato com Lego pra permitir que cachorro que perdeu as patas possa andar


Gracie, essa cadelinha de 1 ano, foi abandonada na frente de uma clínica veterinária quando era um filhotinho. Ela estava cheia de vermes na pele, que começava a gangrenar. Estava sem pelos ao redor dos olhos, nas patas e no rabo. Além disso, ela não tinha as patas dianteiras.

 Gracie logo após ser cuidada pelos veterinários




Os veterinários determinaram que ela já nasceu sem as patas, já que não há sinal de amputação. Porém, eles não sabem como ela sobreviveu ao terrível estado em que se encontrava. Cuidaram dela, e Gracie ficou viva.


Os veterinários entraram em contato com uma organização que cuida de animais abandonados, a Mostly Mutts Animal Rescue, que fica em Kennesaw, na Geórgia, EUA. A organização a acolheu. A família Turley, que cuida da organização, gostou tanto da Gracie que acabaram adotando ela como a mascote da casa.

 A família Turley, com Gracie ao centro


Na organização outros cães com condições parecidas. Um deles tem as patas traseiras paralisadas. Outro tem três patas. E o curioso é que os três gostam de brincar juntos. Gracie se acostumou e consegue se movimentar bem usando só as duas patas traseiras.

Porém, Tummy Turley, que se diz sua mãe, ficou preocupada com a possibilidade da Gracie acabar se machucando sério após um desequilíbrio qualquer. Então eles convocaram um voluntário da ONG que tem só 12 anos, devido aos seus profundos conhecimentos em certos estudos: a engenharia de Lego.

 Dylan, o menino de 12 anos por de trás do aparato de Lego

Como na época Gracie ainda era filhote e continuaria crescendo, eles precisavam de um aparato semelhante a uma cadeira de rodas, mas que encaixasse na frente e ainda pudesse ser adaptado a diversos tamanhos. Afinal, se você for comprar um desses equipamentos da indústria, vai pagar um preço bem salgado.

O menino rapidamente colocou em prática as suas habilidades, e o resultado foi esse:


Tammy disse que quando a colocaram no aparato, ela não entendeu muito bem como utilizá-lo, afinal, nunca andou se apoiando na dianteira. Porém, eles colocaram uma deliciosa salsicha a certa distância dela, e com o incentivo, Gracie deve ter até ativado o turbo.

Conforme Gracie foi crescendo, o garoto Dylan foi adaptando as versões, e teve que fazer mais duas até chegar na definitiva, com rodas maiores e algumas mudanças. E agora, que ela parou de crescer, ela tem uma versão definitiva (que não é de Lego, afinal, não precisa mais ser adaptável ao crescimento):


Como é bom ter quem te ame, não? Se quiser ver a Gracie em vídeo, tem alguns dela distribuídos aqui: