Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Homem pede ajuda das autoridades pra conseguir amputar sua perna


Inúmeras são as doenças que podem acometer o ser humano. Quanto mais comuns, mais conhecidas, e portanto mais fácil o tratamento (ou pelo menos o diagnóstico). Quanto mais raras, mais desconhecidas, e com tratamentos menos acessíveis.





Singlito Cantarao, de 47 anos, foi acometido por uma dessas doenças raras, e por não ter dinheiro, acabou em uma situação triste e bizarra. Sua história se espalhou quando em 2019 ele pediu ajuda pelo Facebook, pra tratar o seu "câncer de osso". Então um programa de TV das Filipinas chamado Kapuso Mo: Jessica Sojo, foi atrás dele.

De acordo com a história contada, Singlito sentia certa dor bem incômoda na perna. Foi dormir, e sonhou estar jogando água fervendo na parte da perna onde doía. Ele acordou quando água fervente no mundo real tocou na sua perna, após uma crise de sonambulismo.


Com a perna gravemente queimada, ele foi levado pelos familiares ao hospital. Lá, os médicos lhe recomendaram um medicamento muito caro pra ele, e como a família não tinha dinheiro, foi embora (pelo jeito a lei de acesso universal à saúde pública não tinha sido sancionada nas Filipinas. Tal lei foi feita recentemente). 

Então eles voltaram pra casa após de tratamentos de primeiros-socorros nas queimaduras, e acharam que limpando bem o lugar, ficaria tudo bem. Mas algo estranho começou a acontecer, e sua perna parecia ser comida lentamente de baixo pra cima. Até que ficou assim:


A pobre família começou a achar, segundo o que estimavam, ser "câncer de osso", e foi sob essa doença que o homem pediu ajuda para a amputação no Facebook. Devido ao osso exposto, a história rapidamente se espalhou e foi pra TV. E claro, especialistas acabaram vendo a situação. Por exemplo, segundo um pneumologista, Dr. Dehuel V. Cuyacot, a suspeita dele é de que ele sofra com bactérias comedoras de carne.

 Outros concordam com ele, e a amputação não só aliviaria sua situação, mas também evitaria que a bactéria continuasse subindo.

Após a história se espalhar e comoção acontecer em Negros Orientes, província das Filipinas, o Centro Médico Universitário Silliman anunciou que vai cuidar do caso de Singlito.