Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Mãe impede filha de sair de casa por 26 anos pra preservá-la dos perigos do mundo


Nadezhda Bushueva tinha 16 anos quando sua mãe resolveu não deixá-la sair de casa de jeito nenhum pra nada, afinal, o mundo é muito perigoso. Seria, de fato, o medo da filha sofrer qualquer revés que levou sua mãe a decidir que ela deveria ficar isolada a sua vida inteira? 




Seria uma possível inveja oculta, quando a mãe viu que ela envelhecia e sua filha ficava cada vez mais bonita? É difícil encontrar assim a motivação.

Seja como for, aos 42 anos ela finalmente saiu. Quando sua mãe, Tatyana, adoeceu seriamente e precisava ser hospitalizada, ela decidiu sair pela primeira vez em 26 anos e se arriscar no perigoso mundo.

Devido ao estado em que estava, as autoridades foram chamadas pra verificar do que se tratava. Nadezhda não lavava seu cabelo há 12 anos, e não se sabe há quanto tempo não trocava de roupas.


Porém, Nadezhda não queria ajuda nenhuma. A pequena casa onde vivem no distrito de Vachsky, na Rússia, estava bem suja quando os agentes de assistência social foram lá. Nadezhda dividia a mesma cama com a sua mãe, bem como muitos gatos, e alguns deles mortos.

Aquela aparente "gosma" de pelos é um gato morto há algum tempo

Segundo os outros moradores do vilarejo, tudo começou quando ela estava na oitava série. Sua mãe começou a proibir que ela saísse com os outros jovens do lugar. E quando a mãe se aposentou, a situação piorou drasticamente, e ela foi tirada até da escola pra não sair de casa. Quando algum dos moradores tentava convencer a mãe a relaxar um pouco as coisas, ela expulsava a pessoa.

 A mãe se recusa a falar uma só palavra
 
Não se sabe como Nadezhda veio a aceitar tal estilo de vida, mas acabou aceitando. Depois de um tempo os vilarejos desistiram e quase se esqueceram da existência das duas. Só a mãe saía pra comprar comida pros gatos e pra elas (e não raro elas também comiam comida de gato).

Ao verem o estado da mulher, agora com 42 anos, os moradores a levaram pro chefe do conselho da cidade, Vasily Tovarnov. Porém, há uma situação difícil a ser resolvida.

Quando oferecem ajuda, ela recusa

Por um lado, a mulher disse: "E daí que tem gatos mortos no sofá? Talvez em breve eu morra nesse sofá também. Minha vida é pior do que a do gato. Um gato tem mais direitos. Eu não estou viva, eu nem existo, eu ando morta". Em outro momento, ela apresenta esperança, e diz que quer "um trabalho e um passaporte".

 No fim, a mãe é internada

Mas ao mesmo tempo, talvez pelo medo dos "perigos do mundo" e do costume de ter ficado 26 anos isolada, ela não quer ajuda. Nadezhda se dividiu em dois nesse tempo. Ela recusou inclusive a ajuda oferecida pelos oficiais da assistência social de limpar a casa dela. 

 Assustada com toda a multidão, ela consegue a internação de sua mãe

Larisa Mikheeva, diretora dos serviços de segurança social de Vachsky, disse que ela não pode ser forçada a receber ajuda, já que nenhuma doença mental foi detectada nela. Ela primeiro demonstra desejo de mudar, mas quando é oferecida a via de fato pra mudança, ela recua abruptamente e diz que "gosta de viver assim".


Fonte: RIA Novosty