Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Funcionário consegue impedir roubo no estabelecimento e é demitido pelo supermercado

A imagem da esquerda é ilustrativa

 

Amir Shedyak, de 20 anos, trabalhava em um supermercado da rede Hannaford em Essex, Massachusets. Há 4 anos era um ótimo funcionário, e já foi funcionário do mês. Mas sua carreira na rede terminou abruptamente após ele impedir um roubou dentro do estabelecimento.

 

Ele tinha acabado de começar o seu turno, quando um homem se aproximou dele pra avisar que uma idosa tinha acabado de ser roubada no lugar. Segundo o rápido relato que ouviu, o cara arrancou a bolsa dela e saiu correndo, simples assim.

 

Imediatamente olhou pra fora e viu um homem no estacionamento correndo com a bolsa. Amir saiu correndo no impulso, e correu muito rápido, tanto que alcançou o ladrão que já havia começado a empreender fuga há alguns segundos.

 

Agarrando o ladrão por trás, ele conseguiu derrubá-lo, e o imobilizou, pedindo que alguém chamasse a polícia. Mas como não é perito em imobilizações, o ladrão conseguiu se desvencilhar e dar no pé. Porém, ele largou a bolsa, que foi devolvida pra idosa.

 

Amir também é bombeiro voluntário nas horas vagas


A idosa ofereceu dinheiro pra Amir, que recusou, dizendo estar fazendo apenas o seu trabalho. Depois de toda a confusão a polícia chegou, recolheu depoimentos e foi embora pra pegar o cara. E de fato ele foi preso depois. Adrian M., de 29 anos, foi capturado e preso pela tentativa de roubo.


Então chamaram Amir pro escritório, e ele achou que receberia uma homenagem ou algo assim do mercado. Mas era pra ele assinar a sua demissão. "Nós não comentamos assuntos pessoais", disse um representante da rede Hannaford à CBS News. 

 

Em entrevista à mesma rede de notícias, um advogado local, Pietro Lynn, disse que ele foi demitido pro mercado evitar um possível processo do ladrão. Embora pareça absurdo, é comum vermos sentenças absurdas favoráveis a ladrões, ainda mais em e-mails com lendas urbanas que dão a impressão de que o sistema judiciário seja a loucademia de juízes.

 

Por isso, as empresas tentam evitar ao máximo qualquer coisa por qualquer motivo, e assim, escapar de todos os processos.

 

Amir, que também é bombeiro voluntário nas horas vagas, não teve um final triste. Em questão de dias foi contratado por uma empresa que soube de sua história.

 

Fonte: NY Post