Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

E-GIRLS DE ALUGUEL: Conheça as moças que ganham pra jogar online com "betas" solitários

 
Se pessoas reclusas socialmente são de certo modo aliviadas com os frequentes encontros proporcionados pela escola ou faculdade, pelo menos com uma ou duas pessoas com as quais adquiriram certa afinidade oriunda daquele costume colateral aos estudos, depois que essa fase acaba a coisa complica pra estes.
 
 
Daí que muitos, sem ter um horizonte, começam a encabeçar princípios de loucura, como discutir política até a morte madrugada à fora sem ganhar nada em troca, ou virar furry, ou entrar numa seita, ou pirâmides de Bitcoin, dentre outras coisas. Tudo isso por conta da solidão. A solidão, de fato, pode ser laboratório da virtude, mas também cultura de vícios, à semelhança de bactérias multiplicando-se exponencialmente.
 
 

 
Tentando fugir do frenesi provocado por longos períodos de solidão, muitas pessoas se submetem ao ridículo, e outras até alugam pessoas. Porém, quando falamos da parte conjugal, por onde ansiamos encontrar um parceiro para a vida toda, tal solidão pode existir mesmo quando a pessoa está cercada de amigos. Seguir um grupo é fácil, convencer alguém a se casar com você, ter filhos e ficar contigo pra sempre é mais complicado.
 
 

 
Tal solidão conjugal que é princípio de loucura é muito vista em homens que são chamados com escárnio de "betas", apelido dado à semelhança de matilhas de lobo e outros bichos onde os machos são subdivididos em grupos conforme a hierarquia. 
 
 
Como tais homens não sabem a sensação de serem amados por uma mulher, eles buscam na ficção, primeiramente, algo que os faça surfar nesta onda, como se fosse uma droga, e encontram terreno perfeito nos animes "Harém", onde normalmente um homem tímido acaba, por certo enredo, cercado de mulheres que disputam por sua atenção.
 
 

 
Então eles passam a ter como ideal estas personagens do anime harém, e posteriormente de qualquer anime, e idealizam isso na vida real. E é aí que muitas mulheres estão enchendo suas contas bancárias de dinheiro.
 
 
O visual "e-girl" mistura o estilo japonês dos animes com a estética "vaporwave", e vivendo um personagem assim, uma mulher conseguirá facilmente muitos seguidores em qualquer empreendimento social na internet, ganhando, normalmente, uma bolada.
 
 
 
 Um Youtuber brasileiro "alugou" uma e-girl pra mostrar como funciona
 
 
Mas de início era algo implícito: a moça fica jogando um joguinho qualquer e os homens supramencionados ficavam vendo não o jogo, mas ela, que ganhava ou com anúncios, ou com doações diretas. Entretanto, pra que esconder? 
 
 
Eles querem sentir o prazer da companhia destas idealizações femininas, e não ver gameplay de joguinho. Por isso estão saindo cada vez mais sites de "aluguel de e-girl", que usa jogos como pretexto. Um exemplo é o "E-pal".
 
 
E-girls costumam usar maquiagem pra simular esse efeito "blush" nas bochechas, usado nos animes pra demonstrar que a mulher está sentindo "frios na barriga" em momentos amorosos, o que atrai os "betas".
 
 
Nele você aluga E-girls por partida, e quanto mais popular ela é no site, mais caro ela cobra por partida (chegando a até 10 dólares por partida, ou 55 reais). O escopo do site é de "encontrar parceiros pra jogar online", e você até pode fazer isso, e se for homem até pode inventar de cobrar por partida (o que dá certo se você for um famoso streamer ou ProGamer), mas acabou que o site (e todos os similares) são usados só pra isso: aluguel de e-girls.
 
 
Uma dessas moças, chamada Chiara, em uma entrevista à Vice disse qual o segredo pra atrair mais clientes: "você não precisa saber jogar bem, mas deve saber como conversar e entreter, fazer a pessoa rir e relaxar por cerca de meia hora. As pessoas entram em contato comigo porque se atraem pela minha voz, e alguns dos caras [clientes] dizem que se sentem melhor depois de falarem comigo. Sua voz é importante, bem como sua aparência".
 
 
Chiara é uma das "e-girls de aluguel" que deram entrevista à Vice
 
Aliás, anexado à foto de perfil está uma barrinha de áudio com uma apresentação por voz da e-girl em questão, onde você poderá decidir se é esta voz que irá te tranquilizar e fazer rir por trinta minutos. Outra das e-girls, Sara, diz o que a motiva pra "trabalhar" assim: "você pode ganhar muito mais assim do que sendo uma auxiliar de vendas numa loja por meio período, cerca de 30 a 40 euros por dia", o que dá entre 196 e 261 reais.
 
 
E no fim, nada mais é do que uso recreativo de dopamina, não diferindo muito de quem usa plantas ou produtos químicos pra isso, exceto, é claro, que quem está sendo usado aqui é um ser humano.