Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Com novas evidências, acusados de estupro são soltos em caso de influencer morta em hotel


O caso da morte de Christine Dacera, aeromoça e influencer com 192 mil seguidores no Instagram, chocou as Filipinas. A moça, que todos pensavam ter um futuro inteiro pela frente, foi achada morta no quarto de um hotel após a virada do ano novo, em uma banheira vazia.




Após uma conclusão preliminar ter acabado dizendo que ela sofreu um estupro coletivo de 11 homens ao mesmo tempo, a polícia prendeu 3 deles. Porém, com novas evidências surgindo, e nenhuma contra tais homens, a polícia soltou eles.


A autópsia da moça revelou que a causa mortis foi um aneurisma da aorta. A aorta é a maior artéria do corpo, e tal aneurisma é um acúmulo de sangue preso em um lugar dela, onde ela incha e, caso se rompa, leva à morte da pessoa, o que aconteceu com Christine. Não se sabe ainda se foi por conta do álcool de ingeriu, ou por alguma droga ilegal, ou por algo congênito.



Dos 11 homens que antes da autópsia e das filmagens do hotel surgirem foram acusados, 8 alegaram ser gays. Um deles, Gregorio de Guzma, filho de uma famosa cantora filipina, Claire dela fuente, se defendeu em entrevista à ABS-CBN, principal emissora do país. "Eu sou gay, eu nunca fiz sexo com nenhuma mulher a minha vida inteira".


Se os outros 7 de fato são gays, não se sabe. Mas as filmagens mostram que a moça entrou no quarto com 3 desses 11 homens consensualmente, e sem evidências pra tese de estupro, eles foram soltos. Uma foto dela em frente ao vaso, provavelmente vomitando após beber, e sinalizando pra câmera foi revelada também por amigos que estavam no hotel:


 

Ela também é vista enforcando um dos homens que se diz gay:



As filmagens mais indicam que a moça estava tendo uma noite de bebedeira no hotel e só. Você pode conferir no vídeo abaixo. A polícia diz que vai continuar investigando, e se não for encontrada nenhuma evidência de estupro, o caso será arquivado. Deixam ainda claro que, ainda que a investigação vá continuar, "não necessariamente será sob a ótica de estupro". Já a NBI, equivalente à polícia federal aqui, diz que "talvez possa ter havido crime".


Fontes: ABS-CBN e NY Post