Arquivo do blog

Tecnologia do Blogger.

Mulher conta ao pai que sofria abuso, pai mata marido, Irã condena ela à morte e faz a própria filha matá-la

 

Em uma sequência de fatos completamente absurda, uma filha acabou executando a própria mãe em uma prisão iraniana pra cumprir a pena imposta pelo judiciário do país. 


Começou com Maryam Karimi, uma mulher iraniana casada e com uma filha, ter contado ao pai que sofria violência doméstica por parte do marido. O pai da moça perdeu completamente a cabeça e assassinou o homem. 

 



Ela foi executada pela própria filha na prisão de Racht, no Irã

 

No dia 13 de março, há 11 dias, o pai foi preso e ela foi condenada à morte. No entendimento do julgamento, o pai agiu passionalmente, e portanto não deveria morrer. Já a Maryam foi acusada e condenada de ter premeditado o assassinato, sabendo do temperamento do pai. Ainda segundo o entendimento da decisão, ela não deveria ter contado nada pra ele.


Mas a coisa ainda piora: no sistema judicial iraniano vigora uma noção chamada "Qisas", que seria algo como "retribuição em gênero", parecido com o "olho por olho, dente por dente". 

 

Uma mulher prestes a ser enforcada no Irã

 

Sendo assim, como no entendimento do sistema judiciário iraniano a Maryam é quem fez o seu pai matar o seu marido, seria então justo que a filha do homem assassinado matasse a mulher. 11 dias após a sentença, ela foi executada pela própria filha, que puxou a alavanca pra soltar a corda do enforcamento.


E a coisa ainda piora: a filha de Maryam quis fazer isso pra vingar seu pai. Ela poderia ter perdoado oficialmente a mãe, o que poderia livrá-la da pena. Um outro jeito era aceitar o "dinheiro de sangue", ou seja, uma espécie de multa que o condenado pelo assassinato paga à família que foi lesada. Caso a família aceite, a pessoa condenada pode ser livrada da pena. Mas a filha de Maryam não aceitou.


Ainda assim, essa filha poderia só ter assistido a um carrasco executá-la, mas ela quis executar a mãe, e agora está com ambos os pais mortos e o avô preso.


Fonte: The Mirror