Tecnologia do Blogger.

Homem pula de ponte, "quica" em leão-marinho que mantém ele boiando e abre ONG anti-suicídio

 

Kevin Hines sofria muito dentro de sua mente, e não encontrava ajuda em lugar nenhum, nenhuma palavra de apoio. Chegou a uma decisão terrível, e decidiu pular da famosa ponte Golden Gate. Segundo Kevin, ele começou a ouvir vozes em sua cabeça, dizendo pra ele morrer.




Sem suportá-las, decidiu obedecer. Logo antes de pular, ele chorou. Segundo Kevin, ele determinou algo, quando a hesitação começou a tomar conta dele. O acordo consigo mesmo consistia no seguinte: caso alguém aparecesse pra confortá-lo de qualquer maneira, ele desistiria do seu suicídio. Se ninguém se importasse, ele se mataria.

 

Kevin Hines na época em que tentou o suicídio


Após alguns momentos claramente indicando que pularia da ponte, ninguém se importou. Uma policial passou por ele, sem se importar. Alguns construtores civis também, e ninguém ligou. Chega. Mas uma mulher com sotaque alemão apareceu. Será? Ela pediu pra que ele tirasse uma foto dela diante do cenário, sem nem perguntar sobre as lágrimas.

Ele hoje, no local onde tomou a terrível decisão


Ele tirou a foto, e quando ela se foi, ele também fez o mesmo, mas em direção ao rio. Assim que percebeu a queda, se arrependeu. "Assim que percebi minhas pernas caindo, pensei: eu não quero morrer". Ele tinha decidido pular de cabeça, mas acabou mudando de ideia e foi cair de perna no rio.

 



Segundo ele, o impacto foi como cair no concreto. Com as pernas zoadas, ele não conseguiria nadar. Mas algo começou a bater nele, empurrando-o. Pensou primeiramente que era um tubarão (embora estivesse em um rio, mas quem pensa direito nessas situações?), e tentou bater na coisa, mas logo desistiu, ferido gravemente.

 



A coisa ficou empurrando ele pra cima toda vez em que afundava, como se fizesse embaixadinha, e graças a isso ele conseguia respirar. A situação perdurou por alguns minutos até que a guarda-costeira chegasse. Uma testemunha que viu ele pular ficou olhando de cima, e identificou a "coisa" como um leão-marinho.

 



Anos se passam, e ele agora lidera a Kevin & Margaret Hines Foundation, uma ONG de prevenção ao suicídio. Afinal, se alguém tivesse se importado, ele não teria pulado. A sua organização é pra mostrar que sim, alguém se importa, e já impediu centenas de suicídios. E tudo isso porque um leão-marinho se importou.


Você pode ir ao site da ONG clicando aqui, e inclusive, caso queira, doar pra eles.