Tecnologia do Blogger.

Mulher presa por falsa acusação de estupro pesquisou no Google "posso ir presa por falsa acusação de estupro?"

 

Um juiz condenou Sylvia Davis, de 52 anos, a 3 anos de prisão em liberdade condicional após ter falsamente acusado de estupro o chefe de polícia Steve Scharschmidt. Ela, que vive em Parma Heights, Ohio, se declarou culpada em janeiro por intimidação, falsificação de gravações e falsificação de evidências.




Em troca de sua confissão, os promotores abandonaram a acusação de extorsão. Ela acabou confessando quando os interrogadores começaram a questioná-la sobre inúmeras inconsistências na sua história, onde narrava um estupro supostamente sofrido por ela.


Além disso, os investigadores obtiveram seus dados de navegação, onde uma pesquisa acabou entregando ela: "eu posso ir presa por mentir sobre um policial ter me estuprado?", e outras pesquisas semelhantes, já que isso é ultra-específico e ela não achou resultado nenhum que fosse adequado ao seu caso. Afinal, seria difícil alguém publicar um tutorial sobre o que fazer ao se cometer um crime deliberado contra o chefe de polícia.

 



Segundo a acusação da mulher, ela andava na rua quando o policial parou de carro ao lado dela, dizendo que ela lhe devia "uns favores" de um "outro caso", e levando ela pra delegacia, a estuprou. Uma câmera de segurança de um hospital confirmou o álibi de Steve pro horário que ela alegou ter ocorrido o crime.


Através de uma estranha sorte, sua mãe caiu e se machucou. Nada grave, mas ele teve que ir no hospital com ela bem no horário em que Sylvia afirmou ter sido levada pra delegacia e estuprada. O carro que Sylvia dizia ser o do homem também não era o dele, e a descrição que ela fez de seu escritório, onde ela diz ter sofrido o crime, não tinha nada a ver com o escritório de verdade.


Com tudo isso e as pesquisas ridículas no Google, ela acabou confessando. Não se sabe o motivo dela ter feito isso, mas ela pediu dinheiro pra Steve, e por isso a acusação de extorsão, que foi abandonada pelos promotores como parte do acordo.


Fonte: Cleveland News